quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Curso Jardinagem: Semear Saber para Renascer (no Santuário de Schoenstatt)

 
"Semear Saber para Renascer" um novo Jardim de Maria à volta do Santuário e nos corações de quem semeia.
 
Estão abertas as inscrições para o III Curso de Jardinagem no Centro Tabor, junto ao Santuário de Schoenstatt da diocese de Aveiro. Destina-se a mulheres e homens desempregados,  com idade igual ao superior a 18 anos, com baixas habilitações escolares e provenientes de meios particularmente desfavorecidos. Os formandos terão direito a bolsa de formação, subsídio de Alimentação, seguro e certificado de Formação Profissional. O curso terá a duração de 6 meses, 6 horas por dia de segunda a sexta-feira. Se está interessado ou conhece alguém que poderia estar, contacte o Centro Social Padre José Kentenich pelo telefone: 234410410.

MP

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Aliança de Amor na Abertura do Ano Jubilar


Foi no passado dia 18 de Outubro, data em que oficialmente a comunidade de Schoenstatt iniciou a caminhada rumo ao grande Jubileu de 2014, altura em que se comemorarão os 100 anos da 1ª Aliança de Amor, selada entre o Padre. Kentenich, os jovens seminaristas e a MTA, que o grupo de casais Ana Cristina e Diogo, Catarina e Miguel e Marisa e Evangelista assumiram e se integraram nessa mesma Aliança de Amor de 1914 e assim também se uniram a esta comunidade, ao Padre Kentenich e à Mãe e Rainha.
Ao longo da caminhada de preparação para a Aliança de Amor, que foi partilhada também por um casal que muito nos ensina com a sua experiência de vida e de Schoenstatt – a Fátima e o Hélder - que chegámos às exigências apresentadas no documento de fundação, que como fiéis aliados teremos de fazer por cumprir diariamente, agora que dissemos o SIM:
- “Provai primeiro que realmente me amais!”
- “Esta santificação exijo de vós!”
- Não simplesmente o grande e o maior, mas o máximo há-de ser a meta da vossa mais elevada aspiração”
- Uma intensa vida de oração”
- “O cumprimentos fiel e fidelíssimo do dever”
- “Trazei-me muitas contribuições ao Capital de Graças”


Perante estas exigências, estes 3 casais colocaram-se no colo da Mãe numa entrega livre, de quem confia na Sua protecção!
Que a bênção de fazerem parte das pessoas que abriram o grande Jubileu a selar a Aliança de Amor com a Mãe lhes traga graças abundantes.
Que a sua Contribuição para o Capital de Graças lhes traga, e a nós também, muitas graças – a eles e a todos quantos estejam em contacto com eles - que a MTA se faça notar, como sinal de que a Aliança de Amor está a ser cumprida!

Nada sem Ti. Nada sem Nós!”

Daniela e João Paulo

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Abertura do Ano Jubilar no Santuário de Lisboa


No dia 18 de Outubro, no Santuário Cenáculo da Família do Pai, em Lisboa, deu-se início às celebrações dos 100 anos de Aliança de Amor - 100 anos de Schönstatt! Numa atmosfera de profunda união, de festa e de Família, acompanhou-se a celebração que decorreu em Schönstatt, junto ao Santuário Original, através da transmissão em directo em Schönstatt TV.
O Santuário CFP em Lisboa estava lindo, enfeitado com flores brancas! Como é habitual, à medida que as pessoas foram chegando para a celebração da Eucaristia de dia 18, iam passando pelo Santuário, numa saudação especial à MTA e a Jesus, num ambiente festivo de adoração. Um Santuário de porta aberta para acolher quem vem, invadido pela vida que se multiplica ao seu redor, iluminado pela luz do fogo de amor das vidas que se entregam em Capital de Graças, em cada dia, gota a gota, mantendo viva a fonte de graças do Santuário!
A celebração da Eucaristia foi muito bonita, em acção de graças pelos 100 anos desta história de Deus com Schönstatt, em Aliança de Amor com Nossa Senhora. Celebrou-se também os 50 anos de Aliança de Amor da Lucília, da primeira geração do Movimento em Lisboa e da primeira geração das Senhoras de Schönstatt portuguesas, presença maternal e discreta no Santuário ao longo destes anos, a quem a Família de Lisboa está de maneira especial agradecida.



Na homilia o Padre Diogo salientou que este ano de Jubileu é um tempo de renovação, de conversão e de refundação. Identificou as três gerações do Movimento com as três graças do Santuário: a geração fundadora assumiu a graça do acolhimento; a geração das décadas de 40 a 60 foi uma geração provada, que assumiu e viveu a graça da transformação; e por fim a geração de 2014, geração missionária que é chamada a assumir a graça do envio, à luz do contexto actual e sob o impulso de um novo tempo que se vive também na Igreja com o Papa Francisco. O Padre Diogo desafiou ainda a Família de Schönstatt a viver o Evangelho de Jesus com radicalidade, a partir da Aliança de Amor, deixando como desafios para a vivência deste ano jubilar que deixemos que brilhe a luz da nossa Aliança como brilha a luz no alto do monte.
A celebração da Eucaristia contou com a participação de mais de 500 pessoas! No final dirigimo-nos em procissão ao Santuário, para aí queimar e oferecer o Capital de Graças entregue na nova talha, igual a todas as talhas de Capital de Graças dos Santuários de Portugal, com o símbolo do Jubileu. Os representantes dos diferentes Ramos do Movimento acenderam tochas, formando um caminho em direcção ao Santuário, iluminado pelo fogo do ardor da missão! Recordou-se desta forma que é a partir do Santuário que Nossa Senhora nos envia como seus instrumentos, portadores das graças do Santuário para a Igreja e para o mundo. Tal como em Schönstatt, assinalou-se simbolicamente a abertura do Jubileu abrindo a porta do Santuário, à semelhança do gesto do Papa João Paulo II ao abrir a Porta Santa no início do Jubileu no ano 2000, em Roma. A porta do Santuário foi aberta depois de se ter batido à porta do Santuário com a Cruz da Unidade, sinal da missão de Schönstatt.



Ao final da noite um grupo de rapazes da Juventude Masculina selou a sua Aliança de Amor com Nossa Senhora no Santuário.
Foi tudo muito simples mas muito profundo e muito bonito. Estivemos profundamente unidos a Schönstatt, ao Santuário Original, mas também ao Movimento Internacional de Schönstatt em todo o mundo! Foi uma experiência muito forte de profunda união, de profunda comunhão, de pertença, de partilha de "destinos" e de corresponsabilidade em assumir e realizar a missão do Pai Fundador, com a consciência de que estamos a dar ainda apenas os primeiros passos.
Neste ano de graças, em que foi concedida indulgência plenária a todos os que devidamente preparados peregrinem aos Santuários de Schönstatt em todo o mundo, permanecemos unidos rumo a Schönstatt e a Roma em Outubro de 2014!

domingo, 27 de outubro de 2013

Abertura do Ano Jubilar do Centenário de Schoenstatt em Braga

 
Procissão até ao Santuário

Gratidão, alegria, júbilo, louvor, ação de graças, união – foram os sentimentos que pairaram nos corações da Família de Schoenstatt de Braga que, pelas 20h30m do dia 18 de outubro, se juntou no Salão da Casa «Jardim de Maria», para participar na Eucaristia de início do Ano Jubilar do Centenário da Fundação de Schoenstatt.

Celebração da Eucaristia no Salão da Casa «Jardim de Maria»

A ocasião, já de si, era única, mas o Bom Deus ainda nos presenteou com a celebração da Aliança de Amor de cinco Sacerdotes Diocesanos: P. Albano Nogueira, da Paróquia de Fornelos (Fafe); P. José Araújo, Paróquia de Galegos (Barcelos); P. José Marques, Paróquia de Cepães (Fafe); P. Manuel Martins, Paróquia de Bastuço (Barcelos); e P. Pedro Amorim, Paróquia de Terroso (Póvoa de Varzim).
A Eucaristia, presidida pelo P. Manuel Ribeiro Alves, da União Apostólica de Sacerdotes Diocesanos de Schoenststt e Pároco de Azurém (Guimarães), foi concelebrada por seis Sacerdotes e coadjuvada por um Diácono, tendo-se seguido o guião proposto pela Direção Nacional do Movimento, adaptado para incluir a celebração da Aliança de Amor.
Na Profissão de Fé, todos os presentes acompanharam os Sacerdotes na Renovação das Promessas do Batismo, em que se acenderam as velas da Aliança.

Renovação das promessas do Batismo com as velas da Aliança

No ofertório, as Senhoras da União Apostólica Feminina (comunidade que tem à sua responsabilidade o Santuário de Braga) levaram ao altar a Talha do Ano Jubilar, assim como as novas folhinhas para a oferta do Capital de Graças.
Mas o momento mais aguardado era a abertura da porta do Santuário, que marcaria o início do Ano Jubilar. Dirigimo-nos, então, em procissão até ao Santuário, ao som do Hino Internacional do Jubileu.
 
O P. Manuel, tocando três vezes na porta com a vara da Cruz, pronunciou as palavras: “Vimos abrir a porta do Santuário como símbolo do início do ano do jubileu da Aliança de Amor. Do Santuário, nasce uma torrente de graças e, ao cruzar hoje o umbral, abrimos também as portas do nosso coração à presença de Deus em nós.”.

A porta santa vai abrir-se!
A porta abriu-se ao som das badaladas do sino e cantámos “Magnificat”. Já dentro do Santuário, rezámos a Oração da Peregrinação do 2014, terminando com o Hino Nacional do Jubileu.     
A nova talha do Capital de Graças, cuja frase “Nada sem Ti – Nada sem nós” tinha sido pintada na véspera por um artista de Azurém, é oferecida à MTA… Mas Ela decerto esperava uma entrega ainda mais especial: a Aliança de Amor dos 5 Sacerdotes desta Diocese.

Oferecendo à MTA a nova talha do Capital de Graças
Os Sacerdotes entregaram-se então a Maria, para se deixarem docilmente educar, conduzir e utilizar pelas suas mãos. Juntos, rezaram:Movidos pelo lema «Nada sem Ti, nada sem nós!», faz, querida Mãe, que o teu manto protetor se estenda sobre as comunidades confiadas a cada um de nós, sobre as nossas famílias e sobre todos aqueles que trazemos no coração sacerdotal. (…) Nas tuas mãos, conduz a vida de cada um de nós, a fim de que, no seguimento do sacerdócio profético do Padre Kentenich, aprendamos, como discípulos do teu Divino Filho Jesus, a cultivar a nossa relação filial com o Pai”.

Os sacerdotes a selarem a Aliança de Amor 
 
Os corações encheram-se de alegria e júbilo, pelo que cantámos “Maravilhas”, enquanto os Sacerdotes recebiam as medalhas e assinavam o Livro da Aliança. 
Este acontecimento único terminaria em grande festa, com bolo e champanhe! E um bolo que expressava bem o simbolismo da ocasião: a Aliança (“arco-íris”) é uma oferta de Deus aos homens; a Aliança de Amor com Maria destes Sacerdotes é uma oferta à Igreja, para a transformação do mundo em Cristo.
Um bolo cheio de simbolismo

Parabéns à MTA, ao Pai Fundador e à Família de Schoenstatt de Braga, que conta com cinco novos membros. Estes Sacerdotes são agora nossos irmãos na Aliança, os quais nos comprometemos a apoiar com fiéis contribuições ao Capital de Graças.

Elisabete e Paulo Coutinho (texto); M. Fátima e João Moura (fotos)

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A espiga de trigo


Assim como num jardim existem diferentes tipos de plantas e flores, as Comunidades de Curso e das filiais escolhem um símbolo que expresse a sua missão no Jardim de Maria.
O Curso de Irmã M. Emilie escolheu a espiga de trigo; são as primeiras da Família das Irmãs e por isso se identificam com grãos que se escondem na terra para produzir muitos frutos.
Em resposta a uma carta, Ir. M. Emilie envia a uma Irmã um cartão com uma frase que significa muito para ela:
‘Senhor, torna-me madura como um grão de trigo, alimento para os famintos e desvalidos. Que toda minha vida seja uma oferenda, doação total, estarei vazia de mim mesma e madura para a eternidade!’ (Livro: Meu sim é para sempre, pág. 242)
"O grau do nosso progresso no domínio das ciências tem que ser o grau do nosso aprofundamento interior, do crescimento da nossa alma."
À Ir. M. Emilie aplicam-se as palavras do Pré-Documento de Fundação de Schoenstatt que o P. José Kentenich proferiu a 27 de outubro de 1912.

 
Para marcar esta data a Equipa do Secretariado convida a todos para rezar de modo especial pela beatificação da Ir. M. Emilie.
Neste dia realizar-se-á um gesto concreto à sombra de um Santuário de Schoenstatt. Serão imersos alguns grãos de trigo com o pedido: Que o espirito de Ir. M. Emilie, ao longo do ano jubilar se irradie a partir de todos os Santuários de Schoenstatt.
Aproveite para fazer os seus pedidos.
Poderá enviá-los ao secretariadoirmaemilie@gmail.com . Vamos rezar de modo especial por todos os que se confiam a sua intercessão.

A Equipa do Secretariado envia-lhes uma cordial saudação jubilar . 

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Ano Jubilar de Schoenstatt e Missão Jubilar de Aveiro em sintonia

Bispo de Aveiro na Abertura do Ano  Jubilar de Schoenstatt
 
D. António Francisco preside à abertura  do Jubileu do centenário de Schoenstatt

«Queremos que este tempo e este lugar sejam tempo e lugar de oração. O Santuário de Schoenstatt nasceu para isso.» Afirmou D. António Francisco na homilia da eucaristia de Abertura do Ano Jubilar de Schoenstatt, que se celebrou no passado dia 18 de outubro, no Santuário Diocesano de Schoenstatt,  onde se venera Nossa Senhora, Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável. O jubileu do centenário do Movimento de Schoenstatt, que foi fundado na Alemanha pelo Padre José Kentenich, em 1914, vai decorrer até outubro de 2014, envolvendo todos os santuários do Movimento espalhados pelo mundo cristão. 
O Bispo de Aveiro afirmou que o Santuário de Schoenstatt nasceu para «ser espaço e tempo de silêncio, de oração contemplativa, de paz que dê serenidade à vida, de capacidade de contemplar e de viver os mistérios de Cristo com o olhar maternal de Maria». Mas  também deve ser espaço de «diálogo orante em que o coração fala e escuta, pede e agradece, invoca e louva.» 
D. António Francisco frisou que «celebramos este Dia Jubilar em tempo de Missão Jubilar na nossa Diocese de Aveiro», tendo presente que «é com este mesmo espírito jubilar e nesta plena comunhão de Igreja que somos, que nos devemos propor viver este tempo de bênção e de graça que os jubileus sempre nos trazem».

Casal pioneiro de Schoenstatt em Aveiro passa testemunho ao casal mais jovem

Ao evocar a expressão que o fundador quis que ficasse impressa no seu túmulo — Dilexit Ecclesiam” (Amou a Igreja) — o nosso bispo salientou que o Padre Kentenich «amou a Igreja e viveu uma sólida e muitas vezes heroica fidelidade à Igreja», legando ao futuro «este carisma fundador, que fortalece em cada um de nós uma aliança de amor com Deus», confiando-nos «ao cuidado de Maria, a Mãe Admirável». 
O prelado aveirense propõe que o Santuário de Schoenstatt seja «lugar de vocação», para responder ao apelo de Jesus, quando recomendou aos seus discípulos que pedissem «ao Senhor da messe» que enviasse «trabalhadores para a sua Messe». «Isso mesmo se espera da oração e da presença de todos os peregrinos deste Santuário. Isso mesmo se deve encontrar permanentemente em vós, Sacerdotes do Instituto Secular de Schoenstatt e Irmãs de Maria. Vós, que viveis lado a lado com este Santuário, sois chamados a espelhar esta fisionomia vocacional e a dizer-nos pela verdade da vossa vida, pela alegria da vossa entrega de consagração e pelo acolhimento e acompanhamento dos peregrinos deste Santuário, como é bom e belo seguir o Mestre e ser trabalhador da sua Messe», adiantou D. António Francisco.
Na homilia da eucaristia da Abertura do Ano Jubilar de Schoenstatt, o Bispo de Aveiro recordou que o Santuário nos «convoca diariamente para a Missão». «Quem encontra Jesus e com Ele estabelece aliança de amor fiel e irreversível nunca fica só», afirmou. E concluiu com uma ligação oportuna entre o Ano Jubilar de Schoenstatt e a Missão Jubilar de Aveiro: «É este rosto missionário da Igreja de Aveiro que aqui deve estar impresso em todos os momentos e vivido em todas as iniciativas.»
 
Fernando Martins
 
 

Vídeo e fotografias da abertura internacional do Ano Jubilar


Vídeo:  http://schoenstatt-tv.de/PT/Mediathek.html

Fotos: http://www.flickr.com/photos/sico2014/page1/

Zenit: Movimento Apostólico de Schoenstatt abre seu Ano Jubilar

 
Roma, 21 de Outubro de 2013 (Zenit.org) O Movimento de Schoenstatt acaba de dar início ao seu ano internacional de jubileu, neste último dia 18 de outubro, preparando-se para o seu centenário, a completar-se no dia 18 de outubro de 2014. O cardeal Stanislaw Rylko, presidente do Conselho Pontifício para os Leigos, foi o primeiro a entrar no santuário original, no vale de Schoenstatt, na Alemanha, durante este ano jubilar, representando toda a família mundial de Schoenstatt.


Mais de dois mil participantes se reuniram no santuário original, em união com centenas de milhares de pessoas do mundo inteiro.

Paraguai

Só no santuário nacional de Schoenstatt em Tuparendá, no Paraguai, 40.000 peregrinos cantaram louvores a Maria, como acontece todo dia 18 de cada mês, renovando e atualizando a aliança de amor que o pe. Kentenich e os jovens seminaristas selaram com Maria há exatamente 99 anos.

Rio de Janeiro - Brasil

A Irmã Nilza da Silva, porta-voz de Schoenstatt no Brasil, relata que as celebrações no país envolveram “milhares de paróquias” e numerosas catedrais, com a participação de dezenas de milhares de peregrinos, juntamente com seus párocos e bispos.


O ano de celebrações começou em Schoenstatt com uma missa na Igreja do Peregrino, celebrada pelo cardeal Rylko. À tarde, houve uma peregrinação iniciada na Igreja da Adoração, no Monte Schoenstatt, em cuja sacristia jazem os restos mortais do Pe. José Kentenich, até o Santuário Original. À noite aconteceram as celebrações centrais da abertura do ano jubilar.
Diversas equipes de líderes de Schoenstatt estão trabalhando há anos sob a coordenação do pe. Stefan Stecker, da Presidência Geral do Movimento, a fim de preparar as celebrações do centésimo aniversário do movimento, que, além dos eventos no vale alemão, prosseguirá na semana seguinte em Roma, incluindo na agenda uma audiência com o papa Francisco. São esperados para este evento mais de 10.000 peregrinos de todo o mundo.

 
O Pe. Andrew Pastore, coordenador da equipe de comunicação, diz que “a nossa contribuição à Igreja e ao mundo se manifesta através de diversos projetos nos cinco principais campos de apostolado em que Schoenstatt esteve mais envolvido durante os seus primeiros 100 anos de vida, que são um dom para a Igreja e para o mundo”. Trata-se da “medula das celebrações de Schoenstatt”: a cultura da aliança. Cada campo central de ação terá seu pavilhão gigante em outubro de 2014 em Schoenstatt, representando a sua contribuição à Igreja. Os temas, resumindo os projetos missionários do apostolado, são Matrimonio e Família, Juventude, Pedagogia, Igreja e Sociedade.

Arco-íris no início das celebrações em Schoenstatt

Texto em: http://www.zenit.org/pt/articles/movimento-apostolico-de-schoenstatt-abre-seu-ano-jubilar


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O Ano Jubilar começou a partir do Santuário Original


Fr. Andrew Pastore.O Ano Jubilar começou” – estas palavras ditas pelo P. Heinrich Walter em diferentes idiomas provocaram um clamor de alegria nos 2000 peregrinos, vindos de todo o mundo, que rodeavam o Santuário Original na noite de 18 de outubro.

Durante todo o dia respirava-se um ambiente incrível em redor do Santuário Original. As renovações, completadas no último minuto, fizeram com que as pessoas parassem e olhassem uma e outra vez.

Cardeal Stanislaus Rylko

O “primeiro” peregrino do ano jubilar

Às 20h estava instalado um profundo silêncio, o P. Michael Marmann, Reitor do Santuário Original foi encontrar-se com o “primeiro” peregrino do ano jubilar, o Cardeal Stanislaus Rylko. Uma saudação – depois a música fez-se ouvir.


Foi maravilhoso ver as 72 bandeiras dos diferentes países seguindo oo primeiro peregrino até o Santuário Original. Palavras de boas-vindas do P. Heinrich Walter, palavras de alegria do Cardeal foram partilhadas nesse momento com a família internacional e a cerimónia de abertura teve início.
 
 
Tenho que contar um pouco da minha experiência pessoal – espero que muitos também partilhem a sua. A cerimónia de abertura a que pudemos assistir e partilhar com muitos de várias partes do mundo (e sei que nem todos tiveram esse privilégio – algo que estamos a resolver) foi porque transmitimos a cerimónia em direto em 142 países e via internet através da colaboração com a EWTN, domradio.de e em especial da schoenstatt-tv. Não imaginam quantas vezes durante o dia fui a correr ao Santuário Original repetir constantemente, “Confio em teu poder…” e, se tivessem estado no ensaio do dia anterior – teriam percebido como todos sentíamos a mão de Nossa Senhora em tudo – até no tempo.
Na busca de Cristo a Igreja bate sempre à porta de Maria e pede: “Mostra-nos Jesus”

Mas voltando à mensagem da festa, menciono dois momentos:
O primeiro momento - As primeiras palavras ditas pelo Papa Francisco em Aparecida “Na busca de Cristo a Igreja bate sempre à porta de Maria e pede: “Mostra-nos Jesus”. O cardeal bateu três vezes e a Porta abriu-se.
 
O segundo momento – “O jubileu da Aliança de Amor com Maria é por isso para nós uma decisão por Cristo. É uma decisão fundamental, a mais importante da vida de uma pessoa – uma decisão que diz respeito a toda a nossa existência e destino. O Beato João Paulo II disse: “Quem quiser conhecer-se verdadeiramente (…) deve com a sua inquietação, insegurança e até mesmo com o seu pecado e fraqueza, com a sua vida e a sua morte, aproximar-se de Cristo. Deve aproximar-se com todo o seu ser, deve “apropriar-se” e assimilar a realidade da Encarnação e Redenção de modo a poder encontrar-se a si próprio.”
 
Viemos bater à porta de Maria, entrámos como somos, agradecemos com 100 rosas por todos os acontecimentos dos últimos 100 anos, ouvimos o chamamento para enfrentar os desafios da fé no mundo de hoje e celebrámos.

 

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Indulgência plenária para todos os Santuários de Schoenstatt

 
Pe. Andrew Pastore. Esta semana chegou a notícia de Roma de que foi outorgada a autorização para receber a indulgência plenária para todos os que participem das atividades jubilares em Schoenstatt e em Roma. As condições para receber as indulgências são as estabelecidas normalmente. Serão concedidas Indulgências também nos Santuários em todo o mundo de 18 de outubro de 2013 até 26 de outubro de 2014.



O Santo Padre, Francisco, informado pelo Reverendo Heinrich Walter, Superior Geral do Instituto dos Padres de Schoenstatt e Presidente da Presidência Geral da Obra Internacional de Schoenstatt, das celebrações do Jubileu que comemoram o centésimo aniversário do dia em que o Servo de Deus, José Kentenich – na altura padre da Sociedade do Apostolado Católico – que, tendo sempre como horizonte a renovação da vida religiosa, fundou em Schoenstatt, próximo da vila de Vallendar, a referida Obra. Este acontecimento realizou-se através de um ato de consagração, uma aliança de amor com Maria sob o título de Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável.
O Santo Padre desejando, através da fé na divina graça, e movido pelo amor à Igreja universal e pelo especial afeto aos membros da Obra Internacional de Schoenstatt, gentilmente concede uma Indulgência Plenária com as condições estabelecidas (Confissão, Comunhão Eucarística, e orações pelas intenções do Santo Padre), a todos os membros da Obra de Schoenstatt e a outros membros da fé cristã que celebrem o jubileu, que se arrependam sinceramente dos seus pecados e que unam os seus corações aos propósitos espirituais do Ano da Fé. Esta Indulgência Plenária pode ser obtida a partir de 18 de outubro (2013) até 26 de outubro de 2014 se os acima mencionados tiverem participado em qualquer das celebrações do Ano Jubilar ou tenham cumprido outras devoções piedosas ou pelo menos tenham dedicado tempo nas atividades diárias para meditar, terminando com a oração do Pai-Nosso, com o Credo, e invocações à Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável. Estas ações podem ser realizadas num dia determinado em Schoenstatt, em certos dias de festa a serem designados na cidade de Roma e em todos os santuários de Schoenstatt do mundo inteiro.

Os membros de Obra de Schoenstatt que estiverem impedidos de participarem nestas celebrações devido a doença ou qualquer outra situação grave também poderão obter uma Indulgência Plenária onde quer que estejam, presumindo-se que estão livres do pecado e têm a intenção de realizarem as três condições estabelecidas logo que lhes seja possível, e se estiverem unidos espiritualmente aos ritos sagrados e oferecerem as suas orações, tribulações, ou qualquer outro sofrimento que enfrentam ao Deus misericordioso através de Maria.
Por isso, com o objetivo de facilitar o acesso à divina misericórdia através das chaves confiadas à Igreja, e para o bem da caridade pastoral, esta Penitenciária exorta fervorosamente os Padres e Sacerdotes de Schoenstatt de, com generosidade, estarem disponíveis para o Sacramento da Penitência e administrarem com frequência a Sagrada Comunhão aos doentes.
O acima mencionado permanecerá em vigor durante o Ano Jubilar, não obstante qualquer disposição em contrário.

Roma, sede da Penitenciária Apostólica, em 2 de outubro no Ano de 2013.

Cardenal Mauro Piacenza

Msgr. Krzyszto

CMP - "Dia da Aliança" 10/2013

 
Declaro aberto o Ano Jubilar ” – Quando no dia 18 de Outubro de 2013 ressoarem estas palavras nos corações de milhares de schoenstattianos, nos quatro cantos do mundo, todos sem exceção se encontram unidos num lugarzinho bem pequeno na Alemanha, todos sem exceção podem afirmar: eu faço parte deste grande momento de graças. Schoenstatt vai festejar 100 anos e eu, sim eu, faço parte desta história fecunda. Não importa se pertenço ao Movimento, não importa se sou peregrino ou mesmo se apenas recebo a Mãe Peregrina e nem conheço um Santuário. Não importa se conheço Schoensttat há muitos anos ou apenas a alguns dias. Eu faço parte desta história porque de algum modo fui tocado pela graça que dimana do grande acontecimento histórico de 18 de Outubro de 2014: a Aliança de Amor que foi selada pelo Padre Kentenich e um grupo de adolescentes com Nossa Senhora. 100 Anos de uma pequena capelinha de graças que se multiplicou em mais de duzentas em todo o mundo. 100 Anos da presença moral de Nossa Senhora no Santuário, no qual estabeleceu o seu trono de graças e onde atua como Educadora. 100 Anos de fidelidade à Aliança de Amor através do Capital de Graças.
Em determinado tempo e espaço, Deus concede graças especiais aos corações que se abrem. O Ano Jubilar é um tempo de graças especiais para nós e para as gerações futuras. É tempo de agradecer pelas maravilhas que Nossa Senhora operou a partir dos Santuários, é tempo de renovar o nosso amor a Maria, de nos consagrarmos a Ela mais profundamente, é tempo de promover uma cultura de Aliança através do compromisso apostólico. 
Não deixemos que este Ano Jubilar passe ao nosso lado. Nós fomos chamados a viver este tempo. É um ano santo, um ano no qual devemos estreitar a nossa vida com o Senhor e “quando o procuramos”, dizia o Papa Francisco, “vamos sempre bater à porta da casa da Mãe”, de Maria. Para nós a casa de Maria é o Santuário, onde muitos recebem a experiência de serem aceites, de serem amados; a força para começar sempre de novo; a vivência de serem úteis, de terem uma missão.
Neste Ano Jubilar, vamos bater ainda mais à porta da casa de Maria, vamos tocar fisicamente, ou pelo menos espiritualmente, o Santuário de graças e  consagrar-nos mais profundamente a Nossa Senhora. Não esqueçamos nunca, quando batemos à sua porta, o seu coração de mãe já palpita de alegria, porque já estava à nossa espera. E só “entrando” podemos experimentar o mistério da sua presença, como dizia uma jovem senhora: “Em Lourdes, Maria apareceu! Em Schoenstatt, Ela não apareceu, Ela está!”
 
Ir. M. Paula Silva Leite, CMP
(Publicado no folheto mensal "Dia da Aliança", Outubro 2013)

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Video Mensagem do P. Heinrich Walter para a ABERTURA DO ANO JUBILAR


 
Vídeo em espanhol
 

INICIA-SE A MARATONA «JUBILEU 2014»!!!


A Equipa do Secretariado convida a todos para um empenho especial pela beatificação do Padre José Kentenich, Pai e Fundador da Obra Internacional de Schoenstatt, ao longo do ano jubilar.

A corrida começa a 18 de Outubro de 2013 e estende-se até 18 de Outubro de 2014.

Com os Círculos de oração organizados cada um de nós quer oferecer 365 horas de guarda pela beatificação do Padre Kentenich.

Todos saímos beneficiados, pois podemos apresentar os nossos pedidos e contar com o auxílio do Padre Kentenich em todas as nossas intenções.

Adquira o folheto explicativo e inscreva-se nesta MARATONA única e inesquecível!!!




Se pretender inscrever-se nesta corrente, existe uma grelha com as horas disponíveis, para cada pessoa poder escolher a hora mais conveniente.Estas grelhas estão ao dispor nos Santuários.

Se tiver duvidas ou necessitar de mais informações, envie um mail para:

A Equipa do Secretariado Padre Kentenich

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Jornadas de Verão 2013 do 1º Curso da União Apostólica de Famílias

Família - Luz do Mundo

Terço do Espírito Santo feito com grandes flores e "oferecido" ao Padre Kentenich

De 4 a 11 de Agosto, realizaram-se na Casa «Jardim de Maria», à sombra do Santuário de Braga, as habituais Jornadas de Verão do 1º Curso da União Apostólica de Famílias. As Jornadas de Verão são o momento alto anual de vivência comunitária destas oito famílias, constituindo um espaço de balanço do ano, de partilha, formação e oração, culminando com o lançamento de pistas para prosseguir a caminhada.
Este ano, o tema desenvolvido «Família – Luz do Mundo», desafiou-nos a todos, pais e filhos, a refletir como poderemos ser portadores da Luz no mundo de hoje.

Paralelamente, não podia faltar a entrega de Capital de Graças. O aprofundamento do conhecimento e da vivência dos sete dons do Espírito Santo, um dom por cada dia de jornada, foi o mote para enchermos as talhas. O casal coordenador destas jornadas, Bernardete e Rui Silva, tinha participado recentemente na Peregrinação de Schoenstatt à Terra Santa e vieram inflamados pelo Espírito Santo, transmitindo esse fogo rapidamente a todos. Diariamente rezou-se, então, o Terço do Espírito Santo. Afinal, estávamos num Santuário com o ideal de Cenáculo!

Desfrutando a paisagem da Serra do Gerês

Outras vivências nos marcaram, como a Peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora da Peneda (no Gerês), a visita guiada ao Mosteiro de S. Martinho de Tibães, e a palestra sobre «Teologia da Família» proferida pelo Professor João Manuel Duque, Teólogo e Diretor do Centro Regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa.

Sessão de cinema, com filme projetado na parede exterior do Santuário

Os filhos têm também importantes vivências, aprofundando os vínculos uns com os outros. Algumas das atividades que mais apreciaram (e os pais também!) foi assistir a um filme sobre a vida de São Filipe Néri (conhecido como o Santo da Alegria), e confecionar sobremesas num atelier de culinária.
O atelier de culinária

Muito do agrado de todos foi também o jogo de futebol pais/filhos, o acampamento em tendas (só para os filhos!), as idas à praia fluvial, a Peregrinação ao Santuário do Sameiro, as Eucaristias diárias e as orações com partilha de corações. Divertimo-nos a jogar o jogo «Quem quer ser Missionário», em que podemos ganhar todos (desde que queiramos mesmo ser missionários!). Durante a Jornada tivemos também «o amigo secreto», pelo qual cada um rezou especialmente.

No Santuário do Sameiro

No Jubileu dos 50 anos de Fundação do Santuário-Lar, o P. José Melo deu-nos ainda importantes pistas para o aprofundamento das vivências no Santuário-Lar de cada família.
Agradecemos de coração às Senhoras da União Apostólica Feminina, que nos acolheram no seu «Jardim de Maria», e foram incansáveis no seu apoio e serviço dedicado a todos.
Com estes impulsos, partimos para o novo ano com as «baterias» recarregadas. Nos nossos corações, ficaram gravadas as palavras do Evangelho: “Assim brilhe a vossa luz diante dos homens, para que, vendo as vossas boas obras, glorifiquem o vosso Pai, que está nos Céus” (Mateus 5,16).


Elisabete e Paulo Coutinho

terça-feira, 15 de outubro de 2013

A PORTA, A TALHA E O FOGO - Editorial Outubro 2013


Vai começar o Jubileu de Schoenstatt! E a PORTA DO SANTUÁRIO vai ser aberta no dia 18 de Outubro, como símbolo do início do ano do jubileu que culmina no 18 de Outubro de 2014. 
A porta que se abre é um símbolo do ano santo, um gesto especialmente visível em Roma, quando a porta santa das quatro Basílicas se abre em tempo de jubileu. É sinal da abundancia da misericórdia de Deus que oferece a todos a salvação, pois o jubileu é tempo da reconciliação, do perdão e da liberdade. 
A porta está sempre aberta mas neste dia 18, ao cruzarmos o umbral do Santuário, queremos renovar a fé no mistério da presença de Nossa Senhora, e abrir ainda mais as portas do nosso coração para deixar Deus entrar. 
 

Outro símbolo deste ano será a TALHA PARA O CAPITAL DE GRAÇAS, oferecida nos quatro Santuários de Portugal, como gesto do nosso compromisso para todo o ano: Nada Sem Ti, nada sem nós. Para isso, a oração do 2014 e as três perguntas nela incluída, podem ser o nosso presente diário. 
Nesse dia 18.10 estaremos interligados como uma grande família. Podemos acompanhar a transmissão via internet do Santuário Original, estaremos reunidos nas nossas comunidades onde habitualmente celebramos o dia 18 ou através dos Santuários – Lar, estaremos sobretudo nos nossos santuários para reavivar O FOGO DA ALIANÇA DE AMOR. 
É a peregrinação 2014. Como Família de Schoenstatt internacional, vamos rumo ao Santuário Original para renovar a Aliança de Amor e ao longo do ano, peregrinamos aos nossos santuários onde Nossa Senhora nos acolhe e nos envia. Isso implica sempre deixar-se transformar por Ela, para irradiar a luz de Jesus. 
O P. Kentenich, em cada jubileu, convidada a viver três atitudes: agradecer, pedir perdão e renovar a Aliança. Podemos faze-lo diante de Deus e da nossa Mãe, podemos também fazê-lo entre nós, nas nossas comunidades e grupos, podemos ainda fazê-lo na nossa vida pessoal com os que estão ao nosso lado. Este é um verdadeiro desafio em tempo de jubileu: Agradecer mutuamente, perdoar e pedir perdão, renovar o amor e a missão que nos une.
No dia 18, quem for ao Santuário, não esqueça de levar a t'shirt do jubileu.
  
Padre José Melo
Diretor Nacional do Movimento

Santuário de Schoenstatt na diocese de Aveiro


Para recordar 

No dia 21 de outubro de 1979, foi solenemente inaugurado o Santuário de Schoenstatt na Colónia Agrícola da Gafanha da Nazaré, em cerimónia presidida pelo Bispo de Aveiro, D. Manuel de Almeida Trindade. Participaram muitos membros do Movimento, bem como peregrinos, simpatizantes e amigos, todos envolvidos na esperança de contribuírem para a construção «do homem novo para uma nova sociedade», seguindo a espiritualidade apoiada em três grandes pilares: Nossa Senhora, Santuário e Fundador do Movimento, Padre Kentenich.
A Primeira Pedra, a Pedra Angular, veio de Roma e foi abençoada pelo Papa João Paulo II. Tem incrustada na face frontal uma outra pedra trazida do túmulo de S. Pedro, na qual está gravada a inscrição “Tabor Matriz Ecclesiae”, que mais não é do que a missão deste Santuário da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt.
O Santuário de Schoenstatt, declarado por D. António Marcelino como Santuário Diocesano, em 21 de setembro de 1993 (completou, portanto, 20 anos; também é dia do aniversário natalício de D. António Marcelino), congrega pessoas de todas idades e condições sociais, dando testemunho de que ali é bom estar.
Os impulsionadores da construção foram as Irmãs de Maria, à frente das quais estava a Irmã Custódia, os Padres Miguel e António Borges, e Vasco Lagarto.
A construção importou em cerca de mil contos, sendo de distinguir a contribuição de todos quantos se encontravam sensibilizados para a vivência espiritual do Movimento.
Das diversas ofertas salientamos as seguintes: Altar – Instituto das Irmãs de Maria do Brasil; Imagem da Mãe – Instituto dos Padres de Schoenstatt de Portugal; Moldura Luminosa – Senhoras de Schoenstatt; Janelas – Casais do Movimento; Campanário – Mães de Salreu; Bancos – Um casal de Lisboa; Alicerces – Mães da Gafanha; S. Miguel – Padre Miguel e Mães; Custódia – Mães da Gafanha; S. Pedro e S. Paulo – Padres Diocesanos; Espada de S. Paulo – Rapazes do Movimento.

Fernando Martins

domingo, 13 de outubro de 2013

"Semeia a tua fé, Santuário em missão" - Semana Missionária da JFS


“SEMEIA A TUA FÉ – SANTUÁRIO EM MISSÃO” – Este foi o lema das primeiras Missões Nacionais da Juventude Feminina de Schoenstatt de Portugal que se realizaram no mês de Setembro em Vale da Pedra, Cartaxo. Foi a concretização de um desafio lançado na Jornada de Outubro de 2012 como presente jubilar da JFS. Reuniram-se para esta missão jovens de Braga, Porto, Aveiro e Lisboa, ou seja, representantes de todos os Santuários de Portugal juntamente com os Assessores. Chegaram de comboio e ficaram alojadas nas salas da catequese.


No primeiro dia tiveram o contacto com a comunidade paroquial na Santa Missa dominical, ficando o resto do dia reservado para a alegria do encontro das jovens, o conhecimento mútuo, a adaptação ao local e ao ritmo imposto pelas altas temperaturas, à partilha de expectativas, a preparação dos espaços internos a utilizar, especialmente o santuário-lar, conhecerem o programa da semana e divisão de grupos de trabalho, de missão externa e tarefas internas.


A semana teve o ritmo de missões semelhante às que os schoenstattianos fazem, com visita  de porta em porta, levando a Mãe Peregrina e o convite para as atividades com crianças, jovens e adultos, que se realizam à tarde, assim como terços e missas, vigília, teatro e arraial a realizar à noite.

Muitas foram as portas que se abriram, mas também as que não se abriram e as que se fecharam. Ouviu-se um “não quero que rezem por mim, nem por ninguém da minha família”, ou “não acredito em nada disso”, e “não quero comprar nada”, “não tenho tempo”. De certo modo as pessoas têm medo de quem aparece à porta, especialmente em casas mais isoladas. Aconteceu no primeiro dia de visitas, pois a população ainda não sabia quem eram as jovens que percorriam as ruas. Foi uma experiencia dura de missionário, especialmente para estas jovens que levavam o coração cheio de sementes de fé para semear. Experimentaram assim o destino do missionário. Nos dias seguintes foi diferente. Foram muitas as famílias que abriram as suas portas, que partilharam a fé, a alegria, mas especialmente as dificuldades, os sofrimentos. De certo modo, parece mais fácil partilhar a dor com desconhecidas, que trazem um coração aberto para ouvir, que oferecem o seu tempo, um sorriso, a esperança e fé. Vidas marcadas pelo abandono, pela doença, por falta de carinho, pelas agressões físicas e psicológicas de familiares diretos, pelo desprezo e tantas – às vezes impensáveis – situações e relações pessoais desumanas. O consolo, a bondade, a compreensão e o sorriso nascem do momento de oração que as jovens fazem nessas casas e na promessa de que vão rezar nas intenções de cada pessoa. E a oração é, de facto, um momento de elaboração das impressões que as jovens recebem com estas vivências e de confiança em Deus.
 
Um grande dia foi o do arraial com um bonito teatro, com o qual as jovens transmitiram a uma plateia repleta, com muitas pessoas, alguns valores verdadeiros do cristão que influenciam para uma nova sociedade. Seguiram-se momentos de convívio e partilha que de algum modo demonstrou o carinho com que o povo de Vale da Pedra acolheu as jovens durante uma semana. As crianças foram as que mais sentiram com a despedida, pois já estavam a acostumar-se com a presença das jovens e as atividades diárias. Ficou a promessa de voltar, talvez para o ano. No último dia foi enviada a Mãe Peregrina das famílias, para Nossa Senhora continuar a caminhar pelas ruas de Vale da Pedra.
MP
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...