quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Mensagem do Senhor Bispo de Aveiro para a Quaresma 2012

Caros Diocesanos

1. Na mensagem que nos dirige para esta Quaresma, o Santo Padre Bento XVI inspira-se na palavra da Carta aos Hebreus: “Prestemos atenção uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras” (Heb 10,24). 

O Santo Padre diz-nos que na sociedade prevalecem a indiferença, o desinteresse e o egoísmo, mesmo quando mascarados por uma aparência de respeito pelo outro. Por isso, não podemos estranhar a actualidade da palavra dorida de Paulo VI ao afirmar que «o mundo actual sofre sobretudo de falta de fraternidade: o mundo está doente. O seu mal reside mais na crise de fraternidade entre os homens e entre os povos, do que na esterilização ou no monopólio, que alguns fazem dos recursos do universo» ( Populorum Progressio, 66). 
Importa cultivar um olhar de fraternidade e de esperança que transforme o coração indiferente diante do sofrimento humano e endurecido perante as injustiças sociais num coração que vê com um olhar «feito de humanidade e de carinho pelo irmão… olhar que ama e corrige, que conhece e reconhece, que discerne e perdoa» (Mensagem da Quaresma de Bento XVI). 
Esta mensagem de Bento XVI, dirigida a todo o mundo, encontra a Europa e Portugal num momento complexo da sua história vivido com acrescidas dificuldades que pesam sobretudo sobre os mais frágeis, os mais pobres e os mais sós. 
Neste Ano Europeu do Envelhecimento Activo e do Diálogo Intergeracional e em flagrante contraste com quanto nesta iniciativa se pretende, temos sido confrontados pelas notícias frequentes de idosos sós, condenados a morrer ao abandono. Também aqui somos chamados a este olhar atento e a este dom recíproco de um amor próximo, vizinho e irmão de cada um de nós pelos outros. As comunidades cristãs têm aqui um campo imenso de presença e de acção. 
Importa saber olhar os idosos como um dom de vida e de bênção e como uma escola de sabedoria onde o futuro já começou e diariamente se aprende. 
Mais do que lamentarmo-nos pelo declínio de uma civilização em fim de ciclo, que a presente crise social indicia, devemos ser capazes de iluminar o mundo com a luz transformadora que nos vem da Páscoa de Jesus. Importa cultivar este olhar de fraternidade que pressente no horizonte sinais de esperança. Um olhar atento é sempre fonte de sabedoria e de fraternidade a dizer-nos que um futuro justo e solidário não é um destino distante nem um caminho inacessível.

Convite para viagem ao Santuário Original


A Campanha da Mãe Peregrina em Portugal está a organizar uma viagem ao Santuário Original, por altura da grande celebração da Coroação de Nossa Senhora como Rainha da Nova Evangelização da Europa que se realizará no dia 8 de Setembro deste ano. Será uma peregrinação europeia e por isso é necessário fazer reservas com antecedência. A primeira fase de inscrições já foi realizada, mas está aberta uma segunda fase, para novos grupos. Este será o maior evento que antecede o de 2014. Depois de 28 de Abril, não aceitamos mais inscrições em Portugal.
A viagem, para além do programa oficial da Coroação, incluiu um passeio de barco no rio Reno, uma visita à casa onde nasceu o Padre Kentenich, com renovação batismal junto à pia do batismo do P.Kentenich, a visita à grande catedral de Colónia e a possibilidade de compras na cidade, viagem ao centro espiritual de Metternich, com visita à exposição, quarto e túmulo da Ir.Emilie, passeio pelos montes Sion e Moriah, com visita guiada às casas dos Padres, incluindo o altar da capela de Dachau. Incluiu ainda a Casa de Documentação sobre toda a vida do Padre Kentenich, assim como também ao quarto onde o Fundador viveu os 3 últimos anos, tempo de oração na Capela do Fundador, junto ao túmulo e possibilidade de conhecer muitas das casas de Schoenstatt. 
O preço incluiu a viagem, alojamento com pensão completa e todos os transportes.
O programa desta peregrinação será a nível nacional.
Informações e inscrições para centro e norte no Centro Tabor, em Aveiro.

MP  


terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Ateliers de Primavera no Centro Tabor

O Centro Social Padre José Kentenich lançou novo pacote de ateliers durante a primavera. As inscrições estão abertas.
Aprenda e ajude as crianças a terem um futuro melhor. Desenvolva as suas aptidões práticas e os seus conhecimentos num dos diferentes tipos de atelier.
Na Tabela seguinte irá encontrar vários de tipos de formação desde Informática, Cozinha, Jardinagem, Massagem para Bebés, etc.

AtelierInicioDuraçãoPreço Total
Office 2007 ou superior -WordMarço 2012 - Formadora Ana Reis
consulte o plano de formação aqui
10 Sessões (Pós-Laboral) / 24 horas€ 35
Office 2007 ou superior -PowerPointAbril 2012- Formadora Ana Reis
consulte o plano de formação aqui
10 Sessões (Pós-Laboral) / 24 horas€ 35
Office 2007 ou superior -ExcelJunho 2012 - Formadora Ana Reis
consulte o plano de formação aqui
12 Sessões (Pós-Laboral) / 24 horas€ 35
CozinhaMarço 201210 Sessões (Pós-Laboral) / 20 horas€ 35
AlemãoMarço 201210 Sessões (Pós-Laboral) / 20 horas€ 35
Primeiros SocorrosAbril 201210 Sessões (Pós-Laboral) / 20 horas€ 35
CosturaFormação contínua10 Sessões (Pós-Laboral) / 20 horas€ 35
JardinagemMaio 201210 Sessões (Pós-Laboral) / 20 horas€ 35
Malha, Bainhas abertas, Croché e PatchWorkAbril 201210 Sessões (Pós-Laboral) / 20 horas€ 35
NutriçãoJunho 201210 Sessões (Pós-Laboral) / 20 horas€ 35
Massagem para bebésSeção Única
(publicação do dia em breve)
1 Sessão€ 10
Arranjos FloraisMaio 201210 Sessões (Pós-Laboral) / 20 horas€ 35
Os materiais necessários são trazidos pelo formando.

Estes ateliers podem sofrer pequenas alterações. Peça informações ou inscreva-se:
Centro Social Padre José Kentenich
Rua do Santuário, 83 A
Centro Tabor - Colónia Agrícola
3830 - 358 Ilhavo
Telefone / Fax: 234 410 410
centrosocialpadrejosekentenich@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar e para comissao.paiscrechejardimmaria@gmail.com
ou
na portaria do Centro Tabor 234 320 290


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Carnaval dos mais pequenos


A creche Jardim de Maria festejou o carnaval com todos os bebés, mesmo com os que ainda não caminham. Na segunda-feira, pelas 11 horas, terminaram o desfile junto à casa das Irmãs de Maria, depois de terem passado pelo Santuário. Era tanta a alegria que os pequenitos nem sabiam onde a levar, corriam de um lado para o outro, mostrando-se mutuamente, às Irmãs, aos funcionários ou aos pais que os acompanharam.


Foram muitas as fotografias tiradas aos elementos deste grupo exemplar que, apesar de "serem de vários países, de terem culturas diferentes, de representarem figuras idealizadas ou imitarem os seus animais preferidos", conviveram todos em plena harmonia. Depois da sopinha e do soninho merecido, à tarde continuou a festa, agora sem os pais, com lanche especial e muita dança. Para eles fica com certeza a vivência de um dia diferente na creche.

MP



domingo, 26 de fevereiro de 2012

O Padre Kentenich na minha vida - 10


A Juventude Feminina do Brasil foi ouvir o testemunho de uma Irmã de Maria sobre o tempo em que ela conheceu o Padre Kentenich. Deixamos aqui algumas das perguntas e respostas:
JFS: Ir. Stellamaris, quais são suas lembranças dos encontros que teve com o Pe. José Kentenich?
O meu primeiro encontro com o Pai Fundador foi no dia 7 de abril de 1948, quando ele veio para a inauguração do Santuário em Santa Maria. Nós éramos postulantes e íamos receber o vestido no dia 9 de abril. Eu não recebi o vestido durante a visita do Pai Fundador porque numa consulta médica constatou-se uma infecção na apendicite. Foi muito difícil saber que teria que voltar para casa para me tratar. Chamamos um táxi, eu chorava junto à mestra das postulantes. Como era difícil ir, sabendo que o Pai estava ali! Mas, ele  disse-me: “A senhora vai, vai cuidar bem disso e logo estará aqui de volta”. Na hora em que eu entrei no táxi para ir embora, o Pai, que estava hospedado no quarto ao lado da portaria, estava na janela e ficou “abanando” para mim, e eu chorava. Foi triste, mas marcou-me profundamente!
Nós tivemos a vestição em setembro (de 1948), e em janeiro de 1949, o Pai Fundador teve um congresso em Santa Maria. Aconteceu justamente no período da consagração do meu curso. O Pai Fundador estava presente e celebrou a missa. Em seguida tomou todas as refeições connosco. Imaginem a nossa alegria! Durante o café, o Pai Fundador interessou-se por saber um pouco mais sobre cada uma de nós, de onde éramos e qual a origem das nossas famílias.
As nossas famílias eram: três italianas, uma indiana, uma japonesa, uma portuguesa e quatro brasileiras. Pegando num botão de rosa, de um arranjo que estava na mesa, O Pai Fundador foi despetalando e tirando as folhas. Profeticamente disse para cada uma, entregando uma pétala e uma folha: “Vais levar Schoenstatt para a Itália” para as italianas, “Vais levar Schoenstatt para a Índia” para a indiana, “Vais levar Schoenstatt para o Japão” para a japonesa, “Vais levar Schoenstatt para Portugal”, para a portuguesa e para as brasileiras deixou a tarefa de “Levar Schoenstatt para todo o Brasil”.
E nós perguntávamo-nos: será que vão as palavras do pai e Fundador serão mesmo profeticas? A Irmã japonesa não foi para o Japão, assim como a da Índia, mas Schoenstatt chegou lá, a Mãe está lá através da Peregrina e dos Santuários. A profecia cumpriu-se. E eu fui para a Itália, como o Pai Fundador tinha dito. Estive lá aproximadamente três anos, mas só muito tempo depois, já em 1994. Como o Pai Fundador era profeta! No Brasil e no mundo, milhares de famílias recebem a Mãe. Schoenstatt está por todo o mundo.


Eu estava com uma infecção no olho e o Pai Fundador soube do problema. Brincando disse que deveria tirar o olho todo para curar a infecção e rindo bateu palmas. Para bater palmas ele fez assim (a Irmã faz um movimento com as mãos fechadas, batendo as pontas dos polegares uma na outra). Meses depois, numa outra visita, ele mesmo lembrou-se de me perguntar como estavam os meus olhos. Confesso que eu mesma já tinha esquecido esse acontecimento.  Aquilo impressionou-me muito, pois eu pensei: “como é que o Pai, que anda por tantos países e lugares,  se preocupa com cada um?” A gente vê que o Pai Fundador se preocupava com todas as pessoas que se empenhavam na missão com ele, não só com as Irmãs. Hoje também, quando selamos uma Aliança com a Mãe de Deus, também selamos com o Pai. Ele nunca nos abandona.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

"Família" reúne e ocupa clero de Aveiro


Decorreu de 6 a 9 de fevereiro, na Casa Diocesana de Albergaria-a-Velha, a formação permanente dos padres da diocese de Aveiro, com a presença de 50 padres e diáconos. P.e José António Carneiro relata momentos fortes destes quatro dias de reflexão sobre a família. Pode ler em:
http://www.ecclesia.pt/correiodovouga/
http://www.diocese-aveiro.pt/noticia_detalhe.asp?id=316 e http://www.diocese-aveiro.pt/noticia_detalhe.asp?id=313

Os Movimentos Familiares deram o seu contributo.
Schoenstatt fez-se representar por Margarida e Vasco Lagarto.

Representantes de Schoenstatt:
Margarida e Vasco Lagarto (Foto arquivo 2010)

Movimentos Familiares

Um painel de testemunhos sobre diferentes movimentos de Igreja ligados à família ocupou a tarde do terceiro dia de formação dos padres e diáconos da Diocese de Aveiro.
Equipas de Nossa Senhora, Casais de Schoenstatt e Casais de Santa Maria estiveram presentes para apresentar a acção que desenvolvem em prol das famílias, na vivência específica de cada um dos movimentos e carismas.
O casal Duarte e Conceição Matias, representante das equipas de Nossa Senhora, sublinhou que a ideia do seu fundador (Padre Henri Caffarel) foi “elevar a beleza do sacramento do matrimónio”, visto que, até então, o matrimónio era “uma espécie de segundo estado”, direccionado para aqueles que não abraçavam a vida celibatária.
As Equipas de Nossa Senhora são um movimento de espiritualidade conjugal que pretende ajudar os casais a viver o sacramento do matrimónio e a evangelizar o seu dia-a-dia.
Os Casais de Schoenstatt, fundados pelo Pe. José Kentenich, estiveram representados por Vasco e Margarida Lagarto.
O movimento é de espiritualidade mariana e destina-se a fazer dos elementos das famílias “apóstolos de Jesus Cristo”, imitando Nossa Senhora, na sua missão de dar Cristo ao Mundo. A pertença ao movimento é abrangente.
O Movimento Familiar Casais de Santa Maria, que chegou à diocese de Aveiro na década de noventa do século passado, representou-se pelo Casal Carvalhais. Apresentaram, sucintamente, a história do movimento na diocese, com expressão apenas no Arciprestado de Vagos.
A sua acção liga-se ao âmbito paroquial e, segundo o casal, o movimento “resulta melhor em ambientes mais rurais”, pela simplicidade própria da estrutura e do funcionamento.
Pe. José António Carneiro

Fonte: Jornal Correio do Vouga e site da Diocese de Aveiro


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Novo Reitor do Santuário Original a partir de 1 de Abril


O P. Marmann, do Instituto dos Padres de Schoenstatt, será o novo Reitor do Santuário Original, a partir do dia 1 de Abril. A equipa do blogue dá-lhe os parabéns pela missão que lhe foi confiada e, juntamente com a Família de Schoenstatt de Portugal, reza pela fecundidade desta tarefa tão especial e importante RUMO A 2014.

A equipa do blogue

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Informação sobre o SANTUÁRIO ORIGINAL


P. Heinrich Walter. Envio esta carta com atraso, pois a assinatura do contrato atrasou e a publicação teve que ser acertada com todas as autoridades competentes dos Pallottinos e de Schoenstatt. 




Schoenstatt, 2 de fevereiro de 2012
Querida Família de Schoenstatt!
Hoje celebramos com a Igreja a Festa da Apresentação de Jesus no Templo. Os seus pais agradeceram a Deus e entregaram as suas ofertas. Para o velho Simeão, este acontecimento quotidiano estava unido com o conhecimento profundo sobre quem era este Jesus. Ele é o Messias que, por sua vida, morte e ressurreição, se torna o Templo vivo de Deus para a humanidade.
Neste contexto salvífico, o nosso pequeno Santuário é um auxílio para se poder compreender melhor o mistério de Deus. Por toda a parte onde existe um Santuário, encontramos Maria que nos conduz ao Senhor. Por toda a parte onde existe um Santuário, surge uma comunidade de fé, que é Família de Deus. Esta realidade  aprofundamo-la no Ano da Corrente do Santuário, a caminho da celebração do Centenário da Aliança de Amor.
No mistério da festa de 2 de fevereiro, foi oferecida ao nosso Fundador, Padre José Kentenich, há 70 anos (1942) na prisão da Gestapo, em Coblença-Alemanha, uma profunda experiência de fé com uma visão para o futuro. Cada ano a Família de Schoenstatt comemora este acontecimento.
Neste dia festivo posso comunicar-vos que os Padres de Schoenstatt e a comunidade dos Padres Palotinos assinaram um Contrato de Usufruto para o Santuário Original e o Recinto dos Peregrinos, a partir de 1 de abril de 2012 e que permanecerá em vigor até o final do ano. Para este ano, já estabelecemos outras conversações a respeito de uma aquisição do Santuário Original com a área dos peregrinos adjacente.
No dia 31 de janeiro de 2012, a Presidência Geral nomeou um Conselho Administrativo para conduzir os assuntos em torno do Santuário Original, durante este período. Os membros deste Conselho são: P. Heinrich Walter, P. Michael Marmann e P. Egon M. Zillekens, a Irmã Andra-Maria Lingscheid, Elisabeth e Bernhard Neiser.
A comunidade dos Padres de Schoenstatt põe à disposição o Padre Michael Marmann como Reitor do Santuário. O Padre Marmann foi superior geral dos Padres de Schoenstatt até 2003.
A Família de Schoenstatt e todos aqueles que se encontram vinculados ao Santuário Original têm a possibilidade de participar espiritual ou materialmente deste projeto. No final de março encontrará mais informações acerca deste projeto no site: www.schoenstatt.org.
Agradecemos à comunidade dos Padres Palotinos pelo êxito das conversações. Agradecemos também a todos os que, de diversos formas, se comprometeram na preparação da festa do Centenário e pelo Santuário Original.
Com as minhas cordiais saudações,

Pe. Heinrich Walter


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Quarta Feira de Cinzas - Inicio da Quaresma


A quarta feira de Cinzas, marca o início da Quaresma. Este é um dia especialmente penitencial, em que devemos manifestar o desejo pessoal de conversão a Deus.
Quando vamos aos templos onde nos vão impor as cinzas, expressamos humildade e sinceridade de coração, que deve conduzir-nos à conversão e ao desejo de crer na verdade proclamada pelos Evangelhos.
A origem da imposição das cinzas, remonta ao século X e faz parte da estrutura das penitências canónicas.
A liturgia actual, conserva os elementos tradicionais: imposição das cinzas e jejum rigoroso.
A bênção e imposição das cinzas, ocorre na Missa, após a homilia, ainda que em circunstâncias especiais, possa ter lugar numa Celebração da Palavra.
As fórmulas de imposição das cinzas, são inspiradas em textos da Sagrada Escritura: Génesis 3,19 e Marcos 1,15.


As cinzas devem proceder da queima dos ramos benzidos no Domingo da Paixão do Senhor, do ano anterior, segundo um costume que remonta ao século XII.
A cinza é um resíduo da combustão pelo fogo de coisas ou de pessoas. Este símbolo aparece logo na primeira página da Bíblia quando diz:
"Deus formou o homem com o pó da terra" (Génesis 2,7).
Por isso o nome do primeiro homem, Adão, significa aquele que vem da terra.

Fami e Paulo

Nota: Texto elaborado a partir dum trabalho retirado do portal católico encuentra.com

Retiro da União das Mães


Vinte e três mães da União, de Lisboa e Madrid, estiveram em retiro anual durante três dias no Centro Tabor, orientado pelo P. José Melo e a Ir. Liane. Todos os anos estas mães reúnem-se para fazer o seu retiro espiritual, ter um encontro mais intensivo com Deus e consigo mesmas. Este ano dedicado ao Santuário foi , provavelmente, um incentivo para viverem estes momentos "à sombra do Santuário", podendo assim usufruir das graças do acolhimento, de renovação interior e missão apostólica diretamente no Santuário.

A União da Mães é formada por pequenos grupos de vida, cujos membros permanecem unidos para sempre através da celebração do perpétuo. O grupo cuida do cultivo de espírito e da aspiração comum aos ideais e à vocação a que estas mães foram chamadas.
A tarefa mais nobre e apostólica de cada mãe da União é anunciar, por seu ser, a realidade sobrenatural de modo convincente e oferecer todos os sacrifícios, orações e trabalhos como “contribuições ao Capital de Graças” pela missão de Schoenstatt. Como mães da União veem o ideal concretizado na Mãe de Deus, vivem no meio do mundo com as respetivas famílias, na sua profissão, com os seus afazeres e obrigações de mulher, esposa e mãe. Juntamente com os Institutos e as outras comunidades da União Apostólica, a União das Mães é parte motriz da Obra de Schoenstatt.

MP


terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Encontro de Carnaval das Apóstolas

video

As Apóstolas de Maria e algumas amiguinhas tiveram um dia muito divertido no Centro Tabor. Foi no sábado passado que, com muita alegria, festejaram o carnaval. Este é um dos encontros de meninas dos 6 aos 12 anos muito esperado e que faz parte do programa do ano. Nessa manhã, foram chegando, um tanto misteriosas, pois traziam os seus disfarces escondidos. O grande desfile deveria ser uma surpresa. Da parte da manhã participaram de um tema com um impulso espiritual e partiram à "caça ao tesouro" com pistas relacionadas com o tema que a dirigente lhes apresentou. Depois do almoço, tiveram um tempo mais calmo e criativo. Cada uma personalizou uma moldura muito original para colocar a fotografia do desfile, que receberia no final do encontro. Sobre uma passadeira vermelha, desfilaram exibindo os trajes e imitando a personagem escolhida. Assim, decorreu uma tarde divertida com muita música, dança, jogos e um lanche delicioso que os pais preparam com todo carinho. Um dia primaveril com um sol maravilhoso, contrariando o frio e o vento que se fez sentir nos últimos dias, contribuiu para esta festa de muita alegria e amizade. 
MP


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Prosseguimos nosso peregrinar rumo a 2014, com a mesma atitude e meta

P. José María García.

Prezados amigos!
Com profunda gratidão por toda a vida e expectativas surgidas ao redor do Jubileu de nossa Família Internacional - neste momento em que terei de mudar o meu contributo no nosso peregrinar conjunto, rumo a 2014 - quero dirigir-vos algumas palavras, mediante os meios de comunicação, a nossa página internacional e o nosso boletim jubilar.

 

Obrigado P. José Maria por todo o trabalho já realizado nesta missão que lhe foi confiada "Rumo a 2014". Certamente poderá contar com as nossas orações a partir do Santuário Tabor Matris Ecclesiae, em Portugal.

Comunicação Oficial - 2014


Querida Família de Schoenstatt, em peregrinação rumo ao Jubileu da Aliança de Amor! Hoje desejo comunicar-vos uma notícia já transmitida no Dia da Aliança aos principais dirigentes do Movimento Apostólico de Schoenstatt, bem como, aos colaboradores da equipa 2014 e que nos desafia a todos nós. Em janeiro/fevereiro do presente ano, o Padre José María García esteve em Madri onde foi submetido a diversos exames médicos, mediante os quais os médicos constataram que se trata de uma leucemia linfática crônica. Sem embargo, ainda se aguarda um diagnóstico definitivo, bem como, a prescrição da respetiva terapia. A conselho dos médicos, terá de renunciar, urgentemente e a longo prazo, a todos os cargos que se encontram sob sua responsabilidade, até seu completo restabelecimento. Por isso decidimos conjuntamente que, por motivos de saúde, o Padre García deixará de ocupar o cargo de chefe da equipa 2014. Agora seu restabelecimento tem de ter total prioridade. É óbvio que não é fácil tomar esta decisão e que agora poderá também surgir uma incerteza no tocante a 2014. Ao mesmo tempo podemos estar certos de que desde a Conferência 2014 e no triênio preparatório para o Jubileu 2014 se tem vindo a criar um sustentáculo que nos conduzirá firmemente às comemorações do Centenário da Aliança de Amor e que Nossa Senhora peregrina juntamente connosco. Agora queremos agir prestamente e pensar em uma reorganização da equipe com colaboradores suplementares. No início do mês de março, a Presidência Geral irá reunir para aprovar a formação da nova equipa. Assim, recomendo às vossas orações o Padre José García, bem como, todos os que se encontram engajados na preparação para as comemorações de 2014 e que os assistamos com as nossas contribuições para o Capital de Graças.

P. Heinrich Walter

Peritos no Santuário


Durante a semana que passou, a pergunta que lançámos no desafio PERITOS NO SANTUÁRIO foi: 

Entre 1869 e 1889, a comunidade de Irmãs que possuía o Santuário naquela altura utilizou-o como depósito para lenha e carvão. A que comunidade nos referimos? 

Aqui estão os resultados:

Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus
  2 (10%)
Congregação das Irmãs de Caridade de Montreal
  5 (25%)
Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena
  13 (65%)


A resposta correcta é: Congregação das Irmãs de Caridade de Montreal.

A Congregação das Irmãs de Caridade de Montreal, mais conhecida no Canadá como «Soeurs Grises», foi fundada em 1737 por Margarida d’Youville.
As Irmãs de Caridade de Montreal seguem os passos de sua fundadora. Elas procuram reproduzir, no quotidiano de suas vidas, o amor de Deus por todos e, mais especialmente, pelas pessoas sofridas, marginalizadas e pobres.
Muitos valores sustentam a missão apostólica da Congregação :
  • solidariedade com os pobres;
  • vivência de situações de risco em vista da promoção da justiça;
  • atitude contemplativa e descoberta da presença constante de Deus em suas vidas;
  • abertura, apoio mútuo e co-responsabilidade na congregação e na Igreja;
  • proteção do caráter sagrado da vida (respeito aos direitos humanos e salvaguarda da natureza).
Para saber mais sobre esta congregação que também "habitou" o Santuário Original nos seus primórdios, pode ir aqui!

Brevemente colocaremos mais uma pergunta para que fique a conhecer mais um pouco da história do Santuário Original.

A equipa do Blogue

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Via Sacra Jovem 2012


Todos os anos, a Juventude de Schoenstatt da diocese de Aveiro faz o caminho da Via Sacra com Jesus. O convite é aberto a todos os jovens que ousam dar o primeiro passo nesse caminho.  No próximo sábado, às 21 horas, no recinto do Santuário de Schoenstatt, participa deste momento que te ajudará a preparar este tempo de quaresma. Será uma Via Sacra jovem e bem original. A decisão é tua. Ele deu tudo por ti! E tu, o que Lhe dás?



Peritos no Santuário


Ao final da segunda semana da nossa rúbrica PERITOS NO SANTUÁRIO, fazemos um apelo ao voto!

Não tenha medo de errar na pergunta que colocámos esta semana:

Entre 1869 e 1889, a comunidade de Irmãs que possuía o Santuário naquela altura utilizou-o como depósito para lenha e carvão. A que comunidade nos referimos? 

Encontre as respostas na coluna ao lado e atreva-se a responder!

É importante que conheçamos a história do Santuário Original. Também é por causa dele que existe Schoenstatt. Afinal... quais são os 3 pontos de ligação no Movimento?
                  A MTA
                  O Santuário
                  O Padre Kentenich

Não tenha medo de errar na resposta! Só errando é que se tem oportunidade de avançar. Se nunca tentar nunca vai errar, mas também nunca vai aprender! Vá! ATRÊVA-SE! ARRISQUE! VOTE!

A Equipa do Blogue

Imagem: google images



Ramo das Mães de Schoenstatt reune-se no Santuário Tabor


No dia 18 de Fevereiro teve lugar, no Centro Tabor, uma reunião de dirigentes da Liga das Mães, a nível nacional, com o objetivo de organizar o Encontro Nacional de Mães para 2012.
A reunião iniciou com uma oração, no Santuário, onde entregámos nas mãos da Mãe o sucesso dos trabalhos que decorreram num clima de partilha de ideias, sugestões e, evidentemente...conclusões!
Terminámos com um saboroso lanche e cheias de entusiasmo para pôr mãos à obra!

A Mãe fez um bom trabalho!

Eduarda Bola

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Amanhã é dia 18 - Dia da Aliança de Amor


Amanhã é dia 18! Dia da renovação da Aliança de Amor.
Deve ser um dia de recordação e de renovação da Aliança de Amor selada em 18 de Outubro de 1914, pelo Padre Kentenich com a Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, na antiga capelinha de São Miguel.
Em cada dia 18, trazemos à Mãe tudo o que pudemos fazer para o Capital de Graças, durante o mês que passou. Colocamos tudo nas suas mães e no seu coração e ao procedermos assim, Maria também renova a Aliança que selou connosco, já que a Aliança de Amor tem um carácter mútuo e recíproco.


Em cada dia 18, devemos peregrinar até ao Santuário a que estamos vinculados. Mas se não o pudermos fazer fisicamente, pelo menos devemos fazê-lo espiritualmente.

"Creio firmemente que nunca perecerá quem permanecer fiel à Aliança de Amor."

Tua Aliança, nossa missão.

Fami e Paulo

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Momento dedicado ao Padre José Kentenich


Sete anos após a morte do Padre Kentenich (concretamente em 10 de Fevereiro de 1975), procedeu-se à abertura oficial do processo de beatificação.
Esta abertura ocorreu na Diocese de Trier, na Alemanha sob a presidência do Bispo, Dom Bernardo Stein.
Antes disso, em 18 de Outubro de 1974, na celebração do 60º aniversário da fundação da obra de Schoenstatt, a Santa Sé comunicou a Dom Henrique Tenhumberg, na altura Presidente da “Presidência Geral” da Obra de Schoenstatt:
“Depois de um exame minucioso do seu pedido às autoridades pontifícias competentes, tenho a satisfação de lhe comunicar que o Bispo de Trier, autoridade diocesana local, de acordo com as normas do Direito Canónico, fazendo uso de suas faculdades, poderá levar a efeito o processo informativo, observando-se as devidas condições.” 
Neste ano de 2012, comemorámos na passada sexta-feira (dia 10) 37 anos da abertura do processo de beatificação do Padre José Kentenich. 
Através do processo de beatificação, pretende-se verificar a santidade de uma pessoa e do seu reconhecimento, como modelo de vida segundo o Evangelho e de intercessor junto de Deus, autorizando o culto litúrgico em sua memória.


É importante conseguir a beatificação do Padre Kentenich?

Sem dúvida nenhuma, sim. A Igreja fica mais forte, cada vez que consegue mostrar alguém, que seja um reflexo transparente do amor, da solidariedade, da verdade, da bondade e da simplicidade de Jesus Cristo. O Padre Kentenich, durante a sua vida mostrou ser um exemplo convincente de viver segundo os Evangelhos. 
O Padre Kentenich ao longo da sua vida, procurou aceitar e ajudar a resolver os desafios do mundo actual. “A mão no pulso do tempo, o ouvido no coração de Deus”, é uma frase dele, que define a sua pessoa e a sua acção pastoral.
Ele não se refugiou nas queixas dos males actuais, nem alimentou a sua acção pela nostalgia do passado, nem anunciou um futuro utópico.
Procurou educar para a liberdade, para que cada pessoa tome consciência da sua originalidade e seja sujeito da sua própria história, abrindo-se ao Deus da vida e sendo solidário com aqueles que o rodeiam. 
Dizia ainda que o santo de hoje, é aquele que é santo na vida diária. A fé, não pode ser separada da vida familiar, do trabalho, da política, da preocupação social, etc.
A sua experiência pessoal e os longos anos de acompanhamento espiritual de milhares de pessoas, levaram a que criasse uma pedagogia e uma espiritualidade aptas para os tempos actuais.
A figura de Maria ocupa um lugar de destaque nas contribuições do Padre Kentenich. Porque ninguém como ela deu maior exemplo de seguir Cristo, no meio das circunstâncias da vida diária, maior abertura à vontade de Deus Pai, nem ninguém foi tão solidário com os seus semelhantes, como Maria.
Irmos ao encontro de Maria é buscar valores que são fundamentais, para quem hoje pretenda dar um testemunho cristão credível e autêntico. 
A actuação e a fecundidade do Padre Kentenich também se demonstram no seu poder intercessor. O número de pessoas, que cheias de confiança se dirigem a ele, nas suas dores e preocupações, aumenta de ano para ano.

Reunindo e considerando tudo isto, é compreensível que esteja vivo em inúmeros corações o desejo de que o Padre Kentenich seja elevado à honra dos altares pela Igreja.
A nossa contribuição pode ser feita com orações, especificamente pedindo que ocorra um milagre de cura física, por sua intercessão.
Assim, seremos ainda mais a contribuir para que este desejo, se torne realidade brevemente.

Este trabalho foi apresentado no Domingo dia 12 de Fevereiro de 2012, no Santuário de Schoenstatt, numa iniciativa do Secretariado Padre Kentenich / Equipa Padre Kentenich, que vai ter lugar, todos os segundos Domingos de cada mês, sempre antes da celebração da Missa das 17 horas.

Fami e Paulo

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Elas e o Santuário


No passado sábado, a Juventude Feminina teve uma atividade diferente. Ouviam-se as gargalhadas e  viam-se movimentações nos jardins. Sentadas na relva, de pé sobre o pequeno muro, correndo de um para o outro lado, enfim, sempre em movimento perante uma máquina de filmar. O que vai sair daqui? Vamos esperar! Elas vão partilhar!

MP

O Padre Kentenich na minha vida - 9


Eu trabalhava como secretária do P.Kentenich. Ele tinha terminado de ditar um documento, de grande importância, quando me disse: “Faça-me o favor: leve este documento ao Santuário, coloque-o sobre o altar e depois diga alguma coisa à Mãe de Deus.” Fui ao Santuário e coloquei o documento sobre o altar. E pensei: o que faço agora? A que se referiria o Padre Kentenich quando disse “e depois diga alguma coisa à Mãe”? Eu não sabia o que fazer, mas rezei assim: “Mãe, tu conheces o conteúdo deste documento, encarrega-te de tudo a seu respeito.” Depois fiz o sinal da cruz e saí do Santuário. Quando cheguei junto do P.Kentenich ele disse surpreendido: “Já?” Eu respondi: “Mas o Santuário fica tão perto.” O Pai e Fundador perguntou-me muito amavelmente: “Colocou o documento sobre o altar?” “Sim, Sr.Padre.” “E disse alguma coisa à Mãe?” “Sim.” “Permita-me perguntar o que lhe disse?” “Claro que sim, Sr.Padre.” E contei-lhe o que tinha pensado, o que a Santíssima Virgem devia fazer. Então veio a grande pergunta: “E a Nossa Senhora o que respondeu?”  “Como? Ela não respondeu!” “Não disse nada?” “Sr.Padre, como é que ela poderia dizer alguma coisa se ela não fala?” O P.Kentenich continuou com a mesma insistência: “A senhora quer dizer que a Mãe não respondeu? Que estranho!” Senti-me mal porque o P.Kentenich continuava a fazer a mesma pergunta e disse-lhe: “Vou ser sincera com o senhor. Depois de eu ter dito a Nossa Senhora o que queria dizer-lhe, fiz o sinal da cruz e vim embora.” Então ele disse: “Bem, agora entendo!  A senhora não lhe deu a oportunidade para Ela responder. No momento em que a Mãe queria dizer-lhe algo, a senhora já tinha saído. Agora, faz favor, volte ao Santuário. Diga tudo à Mãe, pode até fazer queixa de mim. E quando tiver dito tudo, fique em silêncio e, com o seu coração voltado para a Mãe, escute-a. Verá que ela vai falar.” Eu não entendi... mas fui e fiz o melhor que pude. No Santuário fiquei em silêncio por um bom momento, com ‘o meu coração voltado para ela!’...A minha alma foi penetrada por uma grande paz. A Mãe não me falou em voz alta, mas eu vi e senti uma clareza excecional em relação a tudo o que se referia ao documento sobre o altar. (…) No fim voltei à secretaria. O P.Kentenich olhou-me com carinho e disse: “Veja, rezar é falar com Deus, com Nossa Senhora, com uma pessoa do céu. É um diálogo íntimo e confiante. Não é um monólogo, é um diálogo. Um fala e o outro escuta. Quando lhe falam, desejam poder contar com a mesma atenção e o mesmo interesse que a senhora espera que eles lhe prestem, quando lhes fala. Pode ter a certeza de que Deus e Nossa Senhora respondem sempre. Evidentemente, não gritam, falam com uma voz suave. Agora a senhora entende, não é verdade? No nosso Santuário, a nossa querida Mãe ensina-nos a falar com ela de um modo muito pessoal, de coração a coração.”

Ir.Petra Schnuerer

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Mãe Peregrina das costureiras


Com as suas almofadinhas de alfinetes, bastante originais, a Mãe Peregrina do Atelier de Costura do Centro Tabor continua a visitar as famílias das costureiras. Ela vai passando pela Gafanha da Nazaré, por Vagos, pela Barra, distribuindo as graças que leva do Santuário. Todas as terças-feiras à noite regressa à Casa Padre Kentenich e permanece, durante duas horas, no meio dos utensílios de costura, tecidos, máquinas de costurar e das costureiras. Ela está sempre no meio da vida de cada uma e da vida do grupo, que se reúne para aprender e alargar os conhecimentos da arte de costurar. Costurar não é só criar, mas também transformar. Alguns truques podem ajudar-nos a aproveitar ou mesmo a modernizar algumas peças que estão lá por casa num dos armários de arrumos.
Certamente que Nossa Senhora era também zelosa no seu vestuário, no de S.José e de Jesus.

MP

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Os rapazes e a bola: futebol nos pés - terço nas mãos


Os nossos rapazes da JMS estão a disputar o torneio anual de futebol aos domingos de manhã. As equipas mistas de cruzados e pioneiros, domingo a domingo lutam por um lugar na final. Estes jovens, como grandes "profissionais", não se deixaram vencer pela tentação de ficarem no quentinho e enfrentaram as baixas temperaturas deste domingo para mais uma disputa. Foram chegando pelas dez horas, um pouco mais encasacados do que o costume. Reuniram-se na Casa Sião, para juntos rumarem ao Santuário e, aqui, rezarem o terço, como habitualmente. Primeiro fizeram rolar nas suas mãos as bolinhas do terço. Depois da oração, seguiram-se os jogos de futebol, agora com a bola nos pés. Esperamos em breve uma pequena notícia com algumas fotografias das equipas em ação, especialmente dos grandes golos.

MP

Peritos no Santuário


Na semana passada iniciámos o passatempo "PERITOS NO SANTUÁRIO". Apesar de poucos participantes, a maioria acertou na resposta correcta: Arcanjo Miguel.
Se não sabia qual a pergunta ou não conhece o passatempo, então clique aqui!

Para esta semana temos uma pergunta mais difícil...


Entre 1869 e 1889,  a comunidade de Irmãs que possuía o Santuário naquela altura utilizou-o como depósito para lenha e carvão. A que comunidade nos referimos?

a)  Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus
b)  Congregação das Irmãs de Caridade de Montreal 
c)  Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena 


Será que vamos ter muitos "PERITOS NO SANTUÁRIO"?


A equipa do Blogue

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Pedalando Rumo a 2014 - Ligação Gafanha a Vale de Cambra


Queridos amigos de todos os ramos da família de Schoensttat, no seguimento do nosso projecto de ligar o nosso Santuário TABOR a outros Santuários aqui está o plano para mais uma etapa que nos irá levar da Gafanha da Nazaré, ao Santuário da NOSSA SENHORA DA SAÚDE, localizado  perto de Vale de Cambra .
Com mais esta etapa do Pedalando rumo a 2014, vamos ficando mais perto da nossa meta dos 2500 quilómetros.
Contamos com muitos pedalantes para que esta ligação possa tornar a nossa REDE de SANTUÁRIOS mais forte, esta vai ter muito Capital de Graças...
RESUMO :
Data - 26 de Fevereiro de 2012.
Saída - Gafanha da Nazaré - Santuário de Schoenstatt no Centro Tabor.
Destino - NOSSA SENHORA DA SAÚDE - Vale de Cambra.
Distancia - 100 quilómetros (50 quilómetros para cada Lado )
Grau de Dificuldade - MÉDIO ALTO. (Com várias subidas. A parte final são cerca de 10 quilómetros sempre a subir).
Viagem sem assistência técnica pelo que, cada ciclista deverá ser auto-suficiente.


PLANO DE VIAGEM:

Encontro no Santuário Tabor com oração da manhã – 07 horas.
Saída do Santuário às – 07,20 horas.
Percurso: Gafanha da Nazaré - Aveiro - Albergaria -Vale Maior – Rendo – Bosturenga - Ribeira de Fráguas - Vilarinho de S. Roque – Janardo - Gestoso (Nossa Senhora da Saúde).
Paragem mais ou menos a meio para um cafezinho. Cada um pode levar os reforços energéticos que quiser ( vão ser precisos, pois  temos muitas  subidas).
Chegada a Gestoso  -  Aproximadamente  -  12:00 / 12:15 horas.
Oração de Acção de Graças imediatamente após a chegada.
Almoço rápido e ligeiro após a Oração. (Cada pedalante será responsável pelo seu almoço). 
Regresso à Gafanha da Nazaré – Chegada prevista para as 18:00 horas. (O regresso tem muitas descidas).

Notas:
1- As famílias dos pedalantes estão convidadas a acompanhar a viagem de carro, para  dar alento  aos ciclistas e levar o almoço para o seu pedalante e familiares .
2- A viagem será efectuada nos dois sentidos. No entanto quem não quiser fazer a viagem de regresso, por motivos particulares ou falta de preparação para os  50 quilómetros de regresso  (com subidas)   deve organizar o seu regresso e transporte da bicicleta de carro.


3- Podem consultar o itinerário no documento anexo que mostra o trajecto no Google .. Todo o trajecto será efectuado na máxima segurança e apenas com 1 pequena passagem pela estrada 109. Os pedalantes deverão levar coletes reflectores para usar durante a circulação na E.N. 109  e na E.N. 16.

Não faltem.

José Vilarinho

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Dia Mundial do Doente (Mensagem do Papa Bento XVI)



«Levanta-te e vai, a tua fé te salvou!» (Lc 17, 19)

Neste dia 11 de Fevereiro, em que se celebra o Dia Mundial do Doente, publicamos a mensagem do Papa  Bento XVI, como sinal de esperança, para todos aqueles que se encontram doentes.
Desejamos as rápidas melhoras a todos, os que sofram de alguma doença e que por esse motivo, estejam em sofrimento.

"Amados irmãos e irmãs:

Por ocasião do Dia Mundial do Doente, que celebraremos no próximo dia 11 de Fevereiro de 2012, memória da Bem-Aventurada Virgem de Lourdes, desejo renovar a minha proximidade espiritual a todos os enfermos que se encontram nos lugares de cura ou recebem os cuidados das famílias, enquanto manifesto a cada um deles a solicitude e o afecto da parte de toda a Igreja. No acolhimento generoso e amoroso de cada vida humana, sobretudo da frágil e doente, o cristão expressa um aspecto importante do seu testemunho evangélico, segundo o exemplo de Cristo, que se debruçou sobre os sofrimentos materiais e espirituais do homem para os curar.

1. Neste ano, que constitui a preparação mais próxima para o solene Dia Mundial do Doente, que será celebrado na Alemanha no dia 11 de Fevereiro de 2013 e que meditará sobre a emblemática figura evangélica do bom samaritano (cf. Lc 10, 29-37), gostaria de chamar a atenção para os «Sacramentos de cura», ou seja, o Sacramento da Penitência e da Reconciliação, e o Sacramento da Unção dos Enfermos, que encontram o seu cumprimento natural na Comunhão Eucarística.
O encontro de Jesus com os dez leprosos, narrado no Evangelho de são Lucas (cf. Lc 17, 11-19), de maneira particular as palavras que o Senhor dirige a um deles: «Levanta-te e vai, a tua fé te salvou!» (v. 19), ajudam a tomar consciência acerca da importância da fé para aqueles que, angustiados pelo sofrimento e pela enfermidade, se aproximam do Senhor. No encontro com Ele, podem experimentar realmente que quantos acreditam nunca estão sozinhos! Com efeito, no seu Filho Deus não nos abandona às nossas angústias e sofrimentos, mas está próximo de nós, ajuda-nos a suportá-los e deseja curar profundamente o nosso coração (cf. Mc 2, 1-12).
A fé daquele único leproso que, vendo-se purificado, cheio de admiração e de alegria, contrariamente aos demais, vai imediatamente até Jesus para lhe manifestar o próprio reconhecimento, deixa entrever que a saúde readquirida é sinal de algo mais precioso do que a simples cura física, pois constitui um sinal da salvação que Deus nos concede através de Cristo; ela encontra expressão nas palavras de Jesus: a tua fé te salvou! Quem, no seu próprio sofrimento e enfermidade, invoca o Senhor, está convicto de que o Seu amor nunca o abandona, e que também o amor da Igreja, prolongamento no tempo da Sua obra salvífica, jamais desfalece. A cura física, expressão da salvação mais profunda, revela deste modo a importância que o homem, na sua integridade de alma e corpo, reveste para o Senhor. De resto, cada Sacramento expressa e põe em prática a proximidade do próprio Deus que, de modo absolutamente gratuito, «nos toca por meio de realidades materiais... que Ele assume ao seu serviço, fazendo deles instrumentos do encontro entre nós e Ele mesmo» (Homilia, Santa Missa Crismal, 1 de Abril de 2010). «Aqui, torna-se visível a unidade entre criação e redenção. Os sacramentos são expressão da corporeidade da nossa fé, que abraça corpo e alma, isto é, o homem inteiro» (Homilia, Santa Missa Crismal, 21 de Abril de 2011).
A tarefa principal da Igreja é, sem dúvida, o anúncio do Reino de Deus, «mas precisamente este mesmo anúncio deve revelar-se um processo de cura: “...tratar os corações torturados” (Is 61, 1)» (Ibidem), em conformidade com a função confiada por Jesus aos seus discípulos (cf. Lc 9, 1-2; Mt 10, 1.5-14; e Mc 6, 7-13). Por conseguinte, o binómio entre saúde física e renovação das dilacerações da alma ajuda-nos a compreender melhor os «Sacramentos de cura».

2. Il Sacramento da Penitência esteve com frequência no centro da reflexão dos Pastores da Igreja, precisamente devido à sua grande importância no caminho da vida cristã, uma vez que «toda a eficácia da Penitência consiste em restituir-nos à graça de Deus e em unir-nos a Ele numa amizade perfeita» (Catecismo da Igreja Católica, n. 1.468). Dando continuidade ao anúncio de perdão e de reconciliação feito ressoar por Jesus, a Igreja não cessa de convidar a humanidade inteira a converter-se e a crer no Evangelho. Ela faz seu o apelo do apóstolo Paulo: «Em nome de Cristo... sejamos embaixadores: através de nós, é o próprio Deus quem exorta. Suplicamo-vos, em nome de Jesus Cristo: deixai-vos reconciliar com Deus» (2 Cor 5, 20). Ao longo da sua vida, Jesus anuncia e torna presente a misericórdia do Pai. Ele veio não para condenar, mas para perdoar e salvar, para incutir esperança também na obscuridade mais profunda do sofrimento e do pecado, para conceder a vida eterna; deste modo, no Sacramento da Penitência, na «medicina da confissão», a experiência do pecado não degenera em desespero, mas encontra o Amor que perdoa e transforma (cf. João Paulo II, Exortação Apostólica pós-sinodal Reconciliatio et paenitentia, 31).


Deus, «rico de misericórdia» (Ef 2, 4), como o pai da parábola evangélica (cf. Lc 15, 11-32), não fecha o coração a nenhum dos seus filhos, mas espera por eles, procura-os e alcança-os onde a rejeição da comunhão aprisiona no isolamento e na divisão, chamando-os a reunir-se ao redor da sua mesa, na alegria da festa do perdão e da reconciliação. O momento do sofrimento, no qual poderia surgir a tentação de se abandonar ao desânimo e ao desespero, pode transformar-se assim em tempo de graça para voltar a si mesmo e, como o filho pródigo da parábola, reconsiderar a própria vida, reconhecendo os próprios erros e fracassos, sentindo a saudade do abraço do Pai e repercorrendo o caminho rumo à sua Casa. No seu grande amor, Ele vigia sempre e de qualquer modo sobre a nossa existência, e espera-nos para oferecer a cada um dos filhos que volta para Ele, o dom da plena reconciliação e da alegria.

3. Da leitura dos Evangelhos sobressai claramente o modo como Jesus sempre demonstrou uma atenção particular para com os enfermos. Ele não só convidou os seus discípulos a curar as feridas dos mesmos (cf. Mt 10, 8; Lc 9, 2; 10, 9), mas também instituiu para eles um Sacramento específico: a Unção dos Enfermos. A Carta de Tiago dá testemunho da presença deste gesto sacramental já na primeira comunidade cristã (cf. 5, 14-16): mediante a Unção dos Enfermos, acompanhada pela oração dos presbíteros, a Igreja inteira recomenda os doentes ao Senhor sofredor e glorificado, a fim de que alivie as suas penas e os salve, aliás, exorta-os a unir-se espiritualmente à paixão e à morte de Cristo, para contribuir deste modo para o bem do Povo de Deus.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...