domingo, 31 de outubro de 2010

A Mãe Três Vezes Admirável de Schoenstatt já recebeu o Ceptro.


"Aceita o Ceptro do nosso amor e da nossa gratidão! Exaltamos a Tua dignidade de Rainha e pedismo-Te: manifesta novamente as Tuas magnificências na nossa Família!
Aceita o Ceptro e triunfa!
Une a nossa família no coração do nosso Pai e conserva-nos fiéis ao seu espírito e à sua missão. Preserva em nós a consciência missionária e apostólica. A construção do Teu Reino de Schoenstatt deve ser a nossa grande preocupação. Aqui estamos, prontos a dar tudo pela nossa Rainha.
Rainha, o nosso amor te coroa!
Glorifica-Te e triunfa em nós e por nós. Ámen."
(Pequeno excerto da Oração de entrega do Ceptro e renovação da Coroação.)


Fami e Paulo

sábado, 30 de outubro de 2010

Celebração dos 25 Anos da Coroação da MTA

27 de Outubro de 1985 - 27 de Outubro de 2010


"Querida Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt! Cheios de alegria, unidos em torno do nosso Pastor, como Família de Deus, vimos a este Santuário de Graças para oferecer-te a coroa, símbolo da nossa confiança e do nosso amor.
Como Mãe da Igreja e nossa Mãe, queres manifestar neste Santuário, a magnificência da Tua fecundidade maternal e da Tua admirável arte de educar, transformando-nos em cristãos conscientes, filhos heróicos de Deus Pai e apóstolos comprometidos com as necessidades da Igreja e do Mundo." 


"Querida Mãe, Tu sabes como é difícil vivermos como verdadeiros filhos de Deus no mundo actual. Por isso, com grande confiança e amor filial, nós Te oferecemos a coroa e Te proclamamos:
RAINHA DO TABOR DA FILIALIDADE HERÓICA."

Excertos da Oração de Coroação rezada em 27 de Outubro de 1985 e que foi renovada passados 25 anos em 27 de Outubro de 2010, durante a celebração da Missa.





Fami e Paulo

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

“Um SIM decisivo — Padre Miguel Lencastre e Schöenstatt em Portugal”

Um livro de Helena Valente

 



Um trabalho indispensável
para o conhecimento da entrada
de Schoenstatt em Portugal

No dia 21 de Outubro, no Centro Tabor, Movimento Apostólico de Schoenstatt, foi lançado o livro “Um SIM decisivo — Padre Miguel Lencastre e Schöenstatt em Portugal”, da autoria de Maria Helena Saraiva e Castro Valente, com prefácio de D. Serafim Ferreira e Silva, Bispo Emérito de Leiria-Fátima. A cerimónia foi precedida de uma eucaristia, celebrada pelo Padre Miguel, comemorativa do 31.º aniversário da inauguração do Santuário na Colónia Agrícola da Gafanha da Nazaré.
A publicação é da Paulus Editora e a autora é uma conhecida schoenstattiana, que milita, desde 1978, na Família do Patriarcado.
Helena Valente diz, no Prólogo, que o seu trabalho surgiu como resposta à necessidade sentida, neste ano jubilar, de «um levantamento histórico do que se terá passado, ao certo, na Fundação de Schöenstatt em terras Lusitanas, bem como do desenrolar dessa mesma História.»
Quis, e bem, aproveitar «o que nos podem contar aquelas testemunhas que felizmente ainda se encontram entre nós», sendo certo que o Padre Miguel Lencastre é «uma dessas preciosas testemunhas», porque viveu «essa Fundação na primeira pessoa».

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Jornada Nacional de Dirigentes de Schoenstatt - 2

Padre Melo aponta-nos o caminho

Conforme o prometido, voltamos hoje a falar sobre a Jornada Nacional de Dirigentes de Schoenstatt, que decorreu no Centro Tabor, na Gafanha da Nazaré, no passado dia 16 de Setembro.
Dedicamos este apontamento à palestra que o Padre José Melo proferiu na parte da manhã.

“O tema da nossa jornada (A Aliança de Amor pode mudar Portugal), pode parecer ousado mas para nós é uma certeza: A Aliança de Amor pode mudar Portugal. Esta é a linha de fundo deste dia de jornada como Família de Schoenstatt Nacional.
Neste ano de jubileu fomos tomando maior consciência de que o Padre Kentenich se empenhou na nossa fundação e deixou-nos uma missão. Uma das expressões dessa missão é ser porta da Europa, um desafio missionário para o nosso tempo.
Neste sentido nos próximos anos gostaríamos de dizer ainda com mais força: a Aliança de Amor está a mudar Portugal, está a mudar a Europa e está a mudar o mundo.”

Assim iniciou o Padre Melo a sua intervenção, lançando este desafio.
Mais adiante e referindo-se ao ano Jubilar disse:

“Ao terminar este ano jubilar, usando uma palavra muito significativa, também deste ano, temos que dizer … eu acredito!
Acredito neste Schoenstatt que é o nosso; Acredito na missão do nosso Pai e Fundador. Acredito no seu carisma para o nosso tempo; Acredito que isto é verdade! Eu acredito! Acreditamos! E queremos que este fogo acenda o mundo!”


Em seguida falou dos novos desafios que se colocam ao Movimento de Schoenstatt. O mais importante desses desafios é o Jubileu 2014. Em 2014 vai ser celebrado o centenário do nascimento do Movimento. Estes três próximos anos serão de peregrinação rumo a 2014.
“Uma peregrinação! A peregrinação da Aliança de Amor. Sabemos como as peregrinações nos dão vida. Não só chegar mas o que vai acontecendo pelo caminho. Nesta grande peregrinação da Família Internacional, queremos que aconteça muito em nós mas também que aconteça muito à nossa volta, por onde vamos passando. Somos as mãos de Maria, a Aliança é a nossa impressão digital, com a sua força missionária somos capazes de gerar uma cultura.
Percebemos que a Aliança de Amor é capaz de gerar uma cultura que pode responder às necessidades do tempo em todos os âmbitos da vida.”

O lema que nos vai acompanhar neste tempo, vem no seguimento deste propósito e da nossa oração do jubileu:
Pai, o nosso coração no teu coração
O nosso pensar no teu pensamento
A nossa mão na tua mão
A tua missão é a nossa missão.

Agora podemos acrescentar:
A Tua Aliança, a nossa missão.

“A Cultura de Aliança é nossa forma original de expressar nosso estilo de vida e de trabalho: nossa vinculação a Deus, às pessoas, à natureza, à cultura, à Igreja e ao mundo, tendo sempre como base a Aliança de Amor.
A Aliança de Amor para nós é uma mentalidade, uma marca que se faz presente em tudo.”

Continua

Fami e Paulo

A Liga Apostólica Feminina


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Foi há 25 anos que coroamos a MTA no Santuário de Aveiro


Dia 26 à noite: Procissão em silêncio, do salão até ao Santuário, com lamparinas na mão. O caminho até ao Santuário estava todo iluminado com lamparinas vermelhas, feitas especialmente pela JFS para esta hora. Depois de terem contornado duas vezes o Santuário, formaram um grande círculo contornando a ermida.
A seguir a JFS aproximou-se do centro, cantando e formando uma coroa luminosa e trazendo a coroa, pois elas foram as principais portadoras da Corrente de Coroação. Seguiu-se a hora solene da coroação no Santuário. O cântico de coroação ressoou com tanto vigor e entusiasmo que fez vibrar todos os corações. Depois da coroação seguiu uma vigília, durante toda a noite, cujas horas foram distribuídas pelos diversos Ramos, Uniões e Institutos. As mães, apesar do frio e neblina, ficaram fora do Santuário, deixando que a juventude tivesse a sua hora e ficando para mais tarde, apesar de muitas ainda terem que regressar a pé até á Gafanha. Mostraram um grande espírito de sacrifício.


Dia 27: Não houve conferências, mas testemunhos das vivências em Schoenstatt durante ao centenário do nascimento do nosso Pai e Fundador. Pelas 11 horas começaram a chegar as camionetas, os peregrinos e membros dos Ramos, que não estavam nas jornadas.
As 15 horas, em frente à casa das Irmãs, esperando pelo o bispo D. Manuel de Almeida Trindade e 6 sacerdotes que se paramentavam, estava a Juventude com a coroa e as Apóstolas com as bandeirinhas do centenário. A procissão foi até ao altar, que estava na frente do santuário, levando também uma grande coroa de flores que a JFS fez.


Depois da homilia o Sr.Bispo colocou a coroa no quadro da mãe que fora levado para fora do Santuário, juntamente com o “conjunto Servus Maria”. Depois da Imagem estar coroada regressou ao altar enquanto era aclamada Rainha e aplaudida por todos.

MP

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Missa da Aliança no Santuário de Schoenstatt

Hoje deixamos-lhe algumas imagens da passada Missa da Aliança, onde fizemos o encerramento do Ano Jubilar de Schoenstatt em Portugal e ao mesmo tempo iniciámos as celebrações jubilares para a comemoração dos 100 Anos da Primeira Aliança de Amor. Será em 2014.

video

Padre Carlos Alberto fala-nos sobre ...

As Jornadas Diocesanas da Família de Schoenstatt (Aveiro e Coimbra) e a entrega do Ceptro à Mãe e Raínha.


Qual a razão para se fazer uma Jornada Diocesana da Família de Schoenstatt?

Depois de se realizarem as Jornadas Nacionais de Dirigentes, é importante reunir a Família de Schoenstatt das Dioceses para ser transmitida a vida e as linhas orientadoras que se decidiram nas Jornadas Nacionais, para serem aplicadas, em cada Ramo da Família. Mais ainda, na abertura do Jubileu de 2014 e da “peregrinação” que queremos fazer para essa grande celebração, é fundamental inserir toda a Família no espírito desta preparação para 2014.
Este ano existe ainda uma motivação extra para nos reunirmos: celebramos os 25 anos de Coroação da Nossa Senhora no Santuário, como Rainha do Tabor da Filialidade Heróica. Queremos, por isso, reviver o que foi esse momento tão importante para a nossa Família Diocesana e a vida que daí brotou. 

Qual a intenção e a motivação para fazer a entrega do Ceptro à Mãe? 

Ao pedirmos à Nossa Senhora para ser nossa Rainha, coroando-a, na celebração dos 25 Anos desse momento de graças, queremos agora entregar-lhe todo o poder de Rainha sobre nós e a nossa Família. O Ceptro é precisamente isso, símbolo de poder. Podemos expressá-lo assim: é um SIM maior. Um sim que, para nós, significa um compromisso maior, uma entrega maior ao serviço da nossa Rainha. Se queremos entregar-lhe todo o poder sobre cada um de nós e sobre toda a nossa Família, então, da nossa parte, temos que viver mais conscientemente o “nada sem nós”, caso contrário não teria sentido a renovação da coroação com a entrega do Ceptro à Nossa Rainha, dizendo-lhe “nada sem Ti”.

Qual o efeito que se pretende atingir com estas duas acções na Família Diocesana?

Penso que parte da resposta está dada anteriormente. Por um lado, é um momento de graças onde queremos reviver o que significou e o sentido da Coroação. Por outro lado, e para nós “geração da Coroação”, deve ser um momento de transmitir às novas gerações, a vida que se viveu nessa altura à volta da Coroação. Quem for ler a história, vai de certeza encontrar elementos importantes que são desconhecidos para muitos. Hoje, toda a nossa Família de Schoenstatt, ao olhar a Coroa, deve saber o que significa, porquê está lá e o caminho espiritual que se fez para que Ela seja Rainha.
Dando um exemplo: Cada Ramo, nessa ocasião, escolheu um elemento da Coroa para conquistar. Foi a forma como cada Ramo fez a sua caminhada espiritual para coroar a Nossa Senhora. Por isso, penso que cada Ramo deveria, neste momento, voltar a meditar sobre esse elemento e procurar descobrir os seu significado e, porque não, voltar a aplicá-lo durante este ano, na vida do próprio Ramo, nas suas actividades.
É como, por exemplo, a Aliança de Amor. Não é para que eu fique registado no Livro da Aliança, como acontece quando somos Baptizados e ficamos registados no livro de registo de Baptismos lá na Paróquia. Antes pelo contrário, é para ser aplicada na vida, como dizemos agora: vivemos e desenvolvemos uma Cultura de Aliança. Mediante os nossos projectos apostólicos e em todas as coisas que fazemos, em todos os âmbitos da nossa vida onde estamos inseridos, temos que viver e actuar segundo as exigências da Aliança de Amor. É esse o efeito que estes dois momentos, Jornadas Diocesanas e entrega do Ceptro à nossa Rainha, devem ter na nossa Família Diocesana.
 
Fami e Paulo

História da coroa do nosso Santuário


A coroa que a Rainha da Filialidade Heroica recebeu das mãos do nosso Pai e Fundador, no dia 20 de Agosto de 1949, fora retirada do Santuário de Santa Maria - Brasil e substituída por outra, que se dizia mais bonita e de maior valor material. Em 1952 realizou-se a troca. A nova foi abençoada pelo nosso Pai e Fundador, depois de a pegar em suas mãos. 25 Anos depois da coroação e com a partida do nosso Pai e Fundador para o lar eterno, recolheram-se todos os objectos por ele tocados ou abençoados. Então a primeira coroa deveria voltar “ao lugar onde o Pai e Fundador a colocou”. Foi reconquistada por toda a Família do Brasil com a consciência da sua missão como parte integrante e essencial do terceiro Marco de Schoenstatt: o 31 de Maio de 1949.
Em 1982 a coroa “mais bonita”, que ficara 23 anos no Santuário, foi presenteada a Portugal. Vendo nisto um sinal da Divina Providência, começou a corrente de coroação para o Santuário de Aveiro. Esta coroa que hoje está no santuário de Aveiro foi testemunha do amor filial heróico de muitos filhos de Schoenstatt durante os difíceis anos de exílio, permanecendo todo o tempo na Imagem da MTA que o próprio Pai e Fundador coroou como Rainha da Filialidade Heróica. Título que mereceu manter no Santuário de Aveiro, apesar de muita luta com outros novos títulos.
Em 1981 já a JFS peregrinara a Schoenstatt, assumindo conscientemente uma corrente de coroação.
Em 1982 a coroa recebeu a bênção do Papa Joao Paulo II na sua visita a Portugal.
Surge a corrente de coroação em vista ao presente jubilar do Centenário de Nascimento do nosso Pai e Fundador.
Em 1984, com a abertura do Ano Jubilar nas Jornadas de Outubro, vive-se o lema: Tua Aliança – Nossa Vida, Nossa Vida – Tua Coroa.
Em 1985 esteve no santuário Original e na Celebração Internacional do Centenário do Nascimento do nosso Pai e Fundador.
No dia 27 de Outubro de 1985 é coroada a Rainha do Tabor da Filialidade Heroica, título este que fora decidido no Encontro de Dirigentes da Região Centro-Norte, em Junho 1985.

MP

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Jornada Diocesana da Família de Schoenstatt de Aveiro e Coimbra

Sábado dia 30 de Outubro de 2010


Também vai existir programa para os mais novos:





Contamos com a presença dos elementos da Família de Schoenstatt.

Equipa de Divulgação
Cartazes de Sofia Vilarinho 

domingo, 24 de outubro de 2010

Peregrinação Diocesana ao Santuário de Schoenstatt

"Ao celebrarmos a nossa Fé na renovação da Eucaristia, queremos render graças à Santíssima Trindade que, pela Igreja nascida do lado aberto de Cristo, nos deu os Sacramentos, manancial inesgotável de bênçãos.
Queremos agradecer pelos 31 anos da presença e actuação intercessora da Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt a partir do Santuário Tabor da Mãe da Igreja."
(Excerto da introdução da Missa da Peregrinação Diocesana).

Decorreu no passado Domingo, dia 17 de Outubro a Peregrinação Diocesana ao Santuário de Schoenstatt. Tendo como tema o lema da 3ª etapa do Plano Pastoral da Diocese de Aveiro "A Igreja Diocesana Orante é Lugar de Esperança", esta peregrinação iniciou-se com um momento de reflexão e oração (terço), onde se rezou por todos os Arciprestados da nossa Diocese.
Queremos ser uma Igreja orante porque sabemos que "a oração é uma escola da esperança", como referiu o Papa Bento XVI na sua encíclica "Salvos na Esperança - "Spe Salvi"".
Diz ainda o Santo Padre acerca da oração: "Quando ninguém mais me escuta, Deus ainda me ouve. Quando já não posso falar com mais ninguém, nem invocar mais ninguém, a Deus posso sempre falar. Se não há mais ninguém que me possa ajudar, Ele pode ajudar-me."

Na homilia da Missa, D. António Marcelino, que presidiu à peregrinação, falou também da importância da oração dizendo "O segredo do êxito está na oração insistente. E Jesus vem dizer-nos que quem persiste na oração será escutado, porque Deus Pai está do lado dos que por Ele clamam dia e noite..."
Acerca da Peregrinação ao Santuário, disse D. António Marcelino na sua homilia:
"Toda a vida é uma peregrinação, um estar a caminho. Neste caminho muitas lutas e provações, muitas alegrias e dores. Ter isto em conta, contar com os meios de chegar e nunca desistir ... O que conduz o peregrino é sentir-se atraído e ter vontade de chegar. Os santuários são lugares propícios para este encontro renovador de energias espirituais. Aqui, Maria é Mãe e Mestra que faz caminho e ensina a caminhar."


A finalizar disse ainda D. António Marcelino:
"O Papa chamou a Fátima "escola de fé". A isso são chamados os santuários. Existem como sinais hoje muito apetecidos para gente que precisa de se misturar, no meio de muita gente, para olhar para Deus. Lugares de beleza espiritual, de reconciliação e de abertura de alma, não vivem por si, mas pelo que desencadeiam na alma dos peregrinos, que aqui param no seu peregrinar para continuar depois com mais coragem."

Fami, Paulo e Zé Nuno

sábado, 23 de outubro de 2010

Tua Aliança, nossa Missão!

Novo ano, vida nova! Esta é uma das frases mais ouvidas quando se entra num novo ano! E no Movimento de Schoenstatt não é diferente! Termina um Ano Jubilar e começa logo outro!

Como já terão reparado, o cabeçalho do nosso blogue está diferente. Como pano de fundo temos uma parte do logótipo que nos seguiu todo o Ano Jubilar e em primeiro plano temos o novo logótipo para o Triénio para 2014, bem como o lema: TUA ALIANÇA, NOSSA MISSÃO! Ficamos muito contentes pois este lema é como uma continuação do nosso lema Jubilar: 1Pai - 1Família - 1Missão. Estamos todos em sintonia! Vamos descobrir os seus significados!


TUA ALIANÇA, NOSSA MISSÃO!
É o lema proposto na Jornada de Dirigentes e que apareceu também no concurso realizado. Ele destaca a Aliança como a "essência do ser de nossa Família" que se torna missão e é, ao mesmo tempo, um compromisso com o elemento central desta missão, justamente aquilo que o Padre Kentenich presenteou ao mundo e à Igreja: a Aliança.

O logótipo - desenhado por Maria Cecilia Avilés, do Equador - responde às correntes que queremos viver em torno ao centenário da Aliança, segundo a Mensagem da Conferência de 2014.

  • A força do Santuário em todas as suas dimensões, representada no Santuário. Este santuário tem a Cruz dos Congregados, como símbolo de sua entrega e como motivação para nos entregarmos totalmente por Schoenstatt, como eles o fizeram.
  • As correntes de vida que fluem do santuário, que nos unem como Família e perpassam o mundo, por meio das quais, há quase cem anos, o mundo vem se tornando um santuário.
  • O mundo representa o lugar onde queremos viver e actuar em Aliança, para que no lugar onde estejamos, surja a cultura da aliança. 

    As cores do logo são as mesmas do símbolo oficial de Schoenstatt (azul e amarelo) com exceção do vermelho.

Oração da Peregrinação 2014
Querida Querida Mãe de Jesus, e nossa Mãe!
Com alegria, partimos rumo ao teu Santuário.
A fé do Padre Kentenich te moveu
a estabelecer em Schoenstatt a tua morada.
À sombra do teu Santuário,
surgiu uma Família,
um novo caminho espiritual na Igreja,
e um carisma para este tempo.
Trazemos as nossas dádivas,
com as quais queremos encher as talhas:
gratidão e arrependimento,
entrega e anseios.
A cada passo da nossa peregrinação,
nós te pedimos:
acende em nós o fogo do amor a Ti, ao Pai e à Família.
Concede-nos forças para edificarmos neste
mundo uma Cultura da Aliança!
Educa-nos como teus missionários, neste século!

 

Tua Aliança, nossa Missão!

  

Fonte: http://cmsms.schoenstatt.de/pt/

 Equipa de Divulgação

Alianças Jubilares do Santuário de Aveiro

Como todos sabemos, Ano Jubilar é ano de Graças e este não foi excepção! Agora que terminou, relembramos todas as Alianças seladas no Santuário da Mãe e Rainha, Três Vezes Admirável de Schoenstatt!

Começamos no dia 18 de Setembro de 2009 com a Aliança da Joana Rodrigues Santos, que nos deixou um sentido testemunho (pedimos desculpa por não termos fotografias).



Já no ano de 2010, seguiu-se a Aliança de Amor de um grupo da Liga das Famílias, que selou a sua Aliança como peregrinos, precisamente no dia que celebramos a Ordenação Sacerdotal do Padre Kentenich. Foi no dia 8 de Julho.


Logo no dia 10, dia da Peregrinação a Pé à Sé de Aveiro, foi a vez dos Sorrisos de Maria, da Juventude Feminina de Schoenstatt.


No dia 15 de Setembro de 2010, 13 mães dos Grupos "Manto de Maria", "Mensageiras de Maria" e "Guiadas pelo teu olhar" deram o seu Sim à MTA e fazem agora parte desta grande corrente.


Seguiu-se o dia 18 de Setembro, dia escolhido pela Cátia e pela Rafaela para também elas darem as mãos ao nosso Pai e Fundador e entrarem nesta grande Aliança.






Por último e ainda muito recente, foi a celebração da Aliança do grupo Corações da Rainha, também da Juventude Feminina, que selaram o compromisso no dia do encerramento do Ano do Jubileu de Ouro de Schoenstatt em Portugal. Este dia coincidiu também com a abertura do triénio até às celebrações de 2014, quando se celebrarão os 100 Anos da Primeira Aliança de Amor! Um dia em grande!




A todos damos os nossos parabéns por este passo!

Ana Margarida

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Juventude Feminina em torno do Santuário

No sábado passado a Juventude Feminina reuniu-se, mais uma vez em torno do Santuário de Schoenstatt da diocese de Aveiro, para juntas rezarem o terço. Desta vez a preparação coube ao grupo Alegrias de Maria, que partilham aqui um bonito texto que deu mote ao tema do terço. 

Alegria é…
Sorrir ao ver as crianças a brincar
É ver a beleza na melancolia
Cantar uma canção alto
É ficar sossegado ao ver o mar.

Ajudar um amigo sem paz
Sorrir ao receber uma flor
Chorar ao som de uma música comovente
É erguer a cabeça quando tudo parece perdido
Ficar parado a admirar a luz pequenina acesa no meio da escuridão.

Dizer palavras doces a alguém de quem gostamos
Sentir que somos úteis
Saber que não precisamos de muito para sermos felizes.

É partilhar os nossos pequenos prazeres
Viver um dia de cada vez
Aprender com os erros do passado
É trocar olhares tímidos com alguém
É fazer planos para o futuro.

É não ter medo de seguir o nosso destino
É conhecer a obra de Deus que está à nossa volta
É ouvir o que não se ouve
É ver o que não se vê
Viver o que não se vive
Alegria são reticências… pois atrás de umas reticências pode vir um infinito.
               
Aproveitamos para relembrar que amanha há terço, no sítio do costume!!!




JFS

Santuário de Schoenstatt comemorou 31 anos de vida

Padre Miguel e Helena Valente na apresentação do livro


Sinal de que Deus está connosco

Ontem à noite, numa eucaristia celebrada no salão do Centro Tabor, na Colónia Agrícola da Gafanha da Nazaré, foi recordada a inauguração do Santuário de Schoenstatt, que ocorreu em 21 de Outubro de 1979. Presidiu o Padre Miguel Lencastre, um dos principais obreiros da entrada de Schoenstatt em Portugal e, muito concretamente, na Diocese de Aveiro, a partir da paróquia da Gafanha da Nazaré, de que aquele sacerdote foi coadjutor e pároco.
O Padre Miguel Lencastre tem uma forma muito pessoal de recordar vivências e acontecimentos, mas também de fazer uma leitura dos sinais dos tempos que o sensibilizaram ao longo da sua vida.
Desde logo manifestou a sua alegria por se encontrar, em data tão marcante, com a família schoenstattiana, desta vez «um pouco reduzida». A existência do Santuário neste lugar, com todos os sinais que geraram vínculos que perduram, foi motivo de acção de graças e de agradecimentos a todos os que, ao longo dos anos, participaram na sua  história. «Há episódios que são marcas da presença de Deus entre nós», referiu o Padre Miguel, no tom coloquial que lhe é característico. E acrescentou: «Foi a fé que nos trouxe para aqui, até porque a Gafanha não era conhecida.»
Recordou os padres Domingos, Cartaxo e Rubens, que já partiram para Deus e que tanto deram ao Movimento de Schoenstatt. E falou da Colónia Agrícola, o local escolhido e onde o Movimento de Schoenstatt assentou arraiais, na época «um deserto de má fama», mas ainda felicitou as Irmãs de Maria, que «transformaram este recanto num lugar paradisíaco», onde dá gosto estar.
O Padre Miguel evocou a aventura da vinda do altar do Santuário de Santa Maria, Brasil, onde foi construído. Uma semana antes da inauguração do santuário ainda permanecia naquele país irmão, sendo certo que o despacho do mesmo, por avião, seria mais caro do que a sua feitura aqui, em Portugal. E foi o  Comandante João Ribeiro da TAP, pai da que foi a Irmã Cristina e hoje é a Cristina Teixeira, casada e mãe de família, quem proporcionou o transporte do altar, a tempo e horas, para a inauguração.
Não podia deixar de sublinhar que o santuário foi obra de muita fé e de muito trabalho do povo da Gafanha da Nazaré. «O milagre fez-se com a colaboração de muitos voluntários, como sinal de que Deus está connosco.»

Fernando Martins

NOTA: No final da Eucaristia, foi apresentado o livro "Um SIM decisivo - Padre Miguel Lencastre e Schöenstatt em Portugal", da autoria de Maria Helena Saraiva e Castro Valente, de que falaremos um dia destes.

Exílio do Pe. Kentenich

No dia 22 de Outubro de 1951, por ordem do Santo Ofício, o Padre Kentenich teve de abandonar Schoenstatt. Partiu então para a Suíça e mais tarde para os Estados Unidos da América, onde esteve durante o seu exílio, em Milwaukee no estado de Wisconsin.

Passados exactamente 14 anos, em 1965, o Santo Padre (na altura Papa Paulo VI) confirma a suspensão de todos os Decretos promulgados pelo Santo Ofício, durante a Visitação Apostólica. A partir desta data o Padre Kentenich pôde voltar a Schoenstatt para cumprir os últimos anos da sua vida, em muito dedicada à igreja. Assim teve lugar o 4º Marco Histórico de Schoenstatt.


Pe. Kentenich junto ao Lago Michigan
Pedro Lopes

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

“Porque a juventude precisa da marca de Pequena Maria!”

No passado sábado, 9 de Outubro, coube ao grupo das Pequenas Marias, da Juventude Feminina de Schoenstatt, a oportunidade de preparar o terço.
Desta vez a dinâmica esteve relacionada com os diferentes símbolos da bandeira da Juventude Feminina, uma vez que este ano as Pequenas Marias partem à descoberta e conquista da mesma.

Achamos que este terço foi bom para unirmos a maior parte do nosso grupo e para mostrarmos aos outros grupos que, apesar de não termos sido muitas, existem as "Pequenas Marias" no ramo da Juventude Feminina.
Aproveitamos a ocasião para também rezar por todos os membros da juventude.
“Porque a juventude precisa da marca de Pequena Maria!”
 Ana Maria e Beatriz Lourenço

Lançamento do Livro "Um Sim Decisivo ..." na Gafanha da Nazaré


Hoje dia 21 de Outubro, vai ser lançado no Centro Tabor na Gafanha da Nazaré, o livro "Um Sim Decisivo - Padre Miguel Lencastre e Schoenstatt em Portugal", escrito por Lena Castro Valente e que através da vida do Padre Miguel, nos fala sobre as origens do Movimento de Schoenstatt em Portugal.

O programa é o seguinte:
20 h 30 m - Celebração da Santa Missa
Em seguida será efectuada a apresentação do livro.

Contamos com a sua presença.

A Equipa de Divulgação

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Jornada Nacional de Dirigentes de Schoenstatt - 1


À chegada, após confirmar a inscrição e receber o material, punham-se as conversas em dia!

Decorreu no passado dia 16 de Outubro de 2010, no Santuário Tabor Matris Ecclesiae, na Gafanha da Nazaré, a primeira Jornada Nacional de Dirigentes de Schoenstatt.
Estiveram presentes representantes da Família, vindos das Dioceses de Aveiro, Braga, Coimbra, Funchal, Lisboa e Porto.
Tendo como tema fundamental a Aliança de Amor, a Jornada muito bem dirigida e orientada pelo Eduardo Arvins e sua equipa, colocou algumas questões importantes, que serviram de partida para a reflexão individual e em grupos.

Salientamos uma frase do Pai e Fundador, que foi referida pelo Eduardo no início dos trabalhos e que sem dúvida, serviu de base para este dia:
“Mão no pulso do tempo
Ouvido no coração de Deus.”

As questões em torno das quais se desenrolaram os trabalhos, foram:

A Aliança de Amor:
Como mudou a minha vida?
Como muda a minha vida?
Como pode mudar Portugal?

A primeira grande certeza que atingimos foi:

A Aliança de Amor pode mudar Portugal!

Voltaremos em breve a este tema, desenvolvendo a palestra que o Padre José Melo apresentou a anteceder os trabalhos de grupo, em que a questão colocada foi:

O que é que a Aliança de Amor nos trouxe?

Das conclusões a que chegaram os grupos, destacamos para já estas:




(Continua)

Fami e Paulo

A Liga Apostólica Feminina em Encontro à Sombra do Santuário de Aveiro


No passado dia 2 de Outubro (Sábado), reuniu um grupo de Senhoras/Jovens, para reflectir sobre a Liga Apostólica Feminina (LAF).
À luz do versículo do Evangelho de S. Lucas,

“Onde estiver o vosso Tesouro, aí estará também o vosso coração”
(Lc.12, 32-34)
pudemos reflectir:
o porquê deste encontro
a nossa relação com Maria
a espiritualidade do Movimento.



Ficou a vontade de nos voltarmos a reunir, marcando para o próximo dia 13 de Novembro o próximo encontro que se fará à mesma hora. Ao longo deste tempo estabelecemos alguns propósitos individuais:
- leitura de alguns livros aconselhados (facultativo)
- rezar umas pelas outras
- rezar pela conquista do ceptro.
  
E assim, impulsionadas pelo Amor a Cristo e à Mãe, concluímos com a oração:
                            Confio em Teu poder, em Tua bondade
                            Em Ti confio com filialidade
                            Confio cegamente em toda a situação
                            Mãe no Teu Filho e na Tua protecção.

Alcina Marnoto

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...