sexta-feira, 30 de abril de 2010

Entrevistas efectuadas em Fátima no dia 18/04/2010 - I


PADRE JOSÉ MELO



Aproveitando um slogan publicitário que passa nas nossas televisões, pergunto-lhe:
A Igreja portuguesa poderia existir sem o Movimento de Schoenstatt, mas não seria a mesma coisa?

Obviamente todos nós somos muito importantes na Igreja, na sua diversidade de carismas e nós estamos muito contentes de poder oferecer à Igreja o carisma do nosso Pai e Fundador. É o melhor que temos para dar, é o melhor que temos para construir a Igreja, na qual acreditamos, na qual queremos servir e é nessa riqueza do nosso carisma que queremos servir da melhor maneira.

Passados que estão os primeiros 50 anos da existência do Movimento de Schoenstatt em Portugal, quais as perspectivas para os próximos anos, (quem sabe mais 50?)

A perspectiva é a fidelidade à Aliança de Amor que é a nossa mensagem, o nosso carisma e que essa fidelidade à Aliança se traduza numa cultura de Deus, numa cultura de Igreja, numa cultura humana, numa cultura de Aliança e que possa começar por nós próprios, pois queremos ser família, Famílias e Homens novos.

A celebração nacional do Jubileu dos 50 anos, deu maior visibilidade ao Movimento de Schoenstatt, para quem ainda não o conhecia?

Certamente. Algumas pessoas ouviram falar, mas sempre o que de melhor podemos dizer do Movimento, é que onde estamos individualmente ou em família, possamos dar testemunho da vitalidade da fé. É o que melhor podemos dizer.

Fami e Paulo

quinta-feira, 29 de abril de 2010

"Jubileu, para mim, significa «Família»"

E porque falar na primeira pessoa é sempre melhor, aqui ficam alguns testemunhos obtidos (ainda muito cedo pela manhã) no autocarro que partiu de Aveiro rumo a Fátima, no passado dia 17 de Abril.
As perguntas que fizemos aos nossos entrevistados foram:

1. O que esperas desta Peregrinação?
2. Que significado tem para ti o Jubileu?

Vejamos o que tiveram para nos dizer...

Joana Santos "Vagos", JFS
1. Espero que esta Peregrinação seja um momento de partilha, que nos permita unir forças. Espero que me permita crescer na Família. Vim para sentir o que é a Família de Schoenstatt e assim dar testemunho. E, claro, para festejar a chegada de Schoenstatt a Portugal.
2. O Jubileu tem um grande significado pois permite perceber que as pessoas acreditam e têm uma missão a seguir. E também porque foi neste ano Jubilar que fiz a minha Aliança de Amor.

Fátima Rocha, União das Famílias 
1. Espero que nesta Peregrinação a Família se revele unida. Que consigamos um espírito de unidade. Que todos tenhamos disposição e abertura às graças que Deus tem para nós este ano. Que consigamos perceber qual a nossa missão em Portugal e coloquemos “mãos à obra”.
2. Jubileu é sempre uma grande festa! É um momento de acção de graças pelo Pai e Fundador, pela sua ousadia, missão. No fundo, pela pessoa do Padre Kentenich.É um momento de dar graças por todos os fundamentos de Schoenstatt em Portugal. Pelo que Schoenstatt me faz e faz de mim uma pessoa melhor. Agradecer por tudo o que Deus-Pai fez por nós.

Alcina, Liga Feminina
1. Essencialmente, espero que a Família se torne cada vez mais unida.
2. O Jubileu é a certeza de que o Movimento é importante para a Igreja, depois de ter vencido tantos obstáculos.

Hugo Riço, JMS, 13 anos
1. Eu vim à Peregrinação para me divertir! Vim porque me convidarem e eu disse ‘’Tá bem!”.
2. O Jubileu é uma época importante para Schoenstatt e também tenho que a viver. Sou da Juventude, por isso tenho que estar aqui!

Carolina, JFS, 14 anos
1. Com esta Peregrinação espero divertir-me. Conhecer melhor como é que os outros Santuários foram feitos. Espero também fortalecer laços e formar uma Família. 
2. Jubileu, para mim, significa «Família».

Pedro Elmano, JMS
1. Espero que esta Peregrinação seja essencialmente um momento de grande convívio entre o pessoal da Juventude, pois estamos onde gostamos, com pessoas que gostamos.
2. Essa é mais difícil! A minha resposta vai mais em torno da primeira pergunta. Para mim é a descoberta de algo novo, porque estou aqui há pouco tempo. É uma maneira de entrar neste meio, nesta Família.

Paula Paz, Liga das Famílias
1. Esta Peregrinação é o meu retiro pessoal, pois em família nem sempre é possível.
2. Para mim os 50 anos são importantes, mas acho que devemos viver todos eles de forma intensa, mantendo sempre presentes e vivos os ideais de Schoenstatt.  

Ainda muito mais há para testemunhar.
Não perca neste blogue, sempre perto de si!

MB

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Padre Kentenich fala à Juventude Feminina e Masculina de Schoenstatt

Faz hoje 10 dias que vivemos um importante fim-de-semana para a vida da Família de Schoenstatt Portuguesa.

Na oração da noite da Peregrinação de dia 17 reflectimos sobre as palavras do Padre Kentenich, por ocasião das Bodas de Prata Sacerdotais. Aqui fica um excerto, especialmente dedicado às Juventudes Feminina e Masculina de Schoenstatt.

Não quero esquecer os nossos jovens. Quando hoje de manhã vi os sacrifícios que tinham realizado, que juventude heróica! Temos que conseguir ser o que foram os mais antigos. Schoenstatt não deve desenvolver-se sem nós, e muito menos sem a nossa juventude. Saúdo com especial carinho a nossa Juventude Feminina e Masculina, que chegaram aqui com toda a sua energia. Recebi felicitações por parte dos nossos estudantes do ensino secundário. Nessas saudações vibrava toda a alma da geração jovem: "Acolher o espírito que viveram os mais antigos e canalizá-lo para a nova geração. É fazê-lo com espírito de luta. O nosso símbolo são os túmulos dos congregados heróis."  

Também a nossa Juventude Feminina está a trabalhar. No meu agradecimento não recordo apenas a geração mais antiga, mas também a mais jovem. também ela partilha a alegria deste jubileu. É o seu Jubileu."

MB

PEREGRINAR é...


... Reconciliar-mo-nos desde o mais fundo de nós mesmos.

... Retomar a direcção de um caminho talvez perdido e andar com espírito novo por caminhos já andados.


Fotografia de Ana Margarida Bola


... Deixar-se conduzir pelos dons de Deus, semeando, no rasto dos nossos pés, a paz, esperança e bem, nos caminhos dos Homens.

... Fazer como os Magos: ir ao encontro de Belém, seguindo o rumo da estrela, e voltar à sua terra por caminhos diferentes.


Fotografia de Fami


... Buscar o Senhor em todo o lado onde Ele nos chama e levar a novidade aos Homens, dizendo-lhes que o «reino de Deus está perto».


... Acreditar, louvar e agradecer, e fazer da vida toda um serviço aos Homens em nome de Deus.


Fotografia de Fami


... Subir ao Sinai e entrar em comunhão com o Céu, para depois ser testemunha e apóstolo da Lei em todos os tempos e espaços da Terra.

... Merecer e celebrar a felicidade de se sentir imerso numa multidão de irmãos que caminham juntos para onde Deus os espera e para onde Deus os envia.

Fotografia de Ana Margarida Bola

... Sentir-se membro da família de Deus, concebida como Povo em marcha, e ser caminheiro ao longo da história, indo ao encontro do Senhor.

... Aprender a tornar-se melhor pelo bem que faz, pelos caminhos por onde segue, deixando no rasto dos pés, sinais de paz e de bem-aventurança, a imagem de Cristo que passa. 

Fotografia de Fami

Autor Desconhecido

As filhas mais pequenas


No passado sábado as Apóstolas de Maria tiveram o seu momento de encontro com o Símbolo do Pai. No Santuário rezaram durante mais ou menos 30 minutos. Pediram juntas:
"Pai, que eu saiba ser uma verdadeira Apóstola de Maria e que cada momento da minha vida seja um belo presente para ti!"
Depois de oferecerem o seu Capital de Graças e de se consagrarem à Mãe de Deus, foram até ao nicho, levando o Símbolo com elas.


No nicho tiveram um pequeno "exame" sobre o que tinham aprendido no encontro da Páscoa, precisamente sobre as datas do nosso nicho e a primeira visita deste mesmo símbolo em 1970. Passado o "exame" receberam da caixa (por todas já bem conhecida) os rebuçados do Pai.


Um momento para saborear, quem sabe durante os próximos 50 anos!
MP


terça-feira, 27 de abril de 2010

Papa Bento XVI vai supreender.


Papa vai surpreender, diz jornalista da Rádio Vaticano.

António Pinheiro, responsável pelo programa português da emissora pontifícia considera que existe uma imagem «desfocada» do Papa.
O responsável pelo programa português da Rádio Vaticano, António Pinheiro, considera que Bento XVI irá surpreender muitas pessoas durante a visita ao nosso país, de 11 a 14 de Maio.
“É muito provável que muitas pessoas mudem de opinião sobre o que é a personalidade de Bento XVI”, refere.
Em entrevista à ECCLESIA, o jornalista – na Rádio Vaticano desde Janeiro de 1976 – defende que existe na opinião pública “uma imagem algo desfocada daquilo que é Bento XVI”.
Nesse contexto, a presença do Papa em Portugal poderá ser importante para alterar a perspectiva de que “o conhece como uma figura um pouco distante”.
“Vai ser uma descoberta interessante para os portugueses, que vão ter a possibilidade de o ver de perto”, diz António Pinheiro.
Natural de Ourém, o jornalista português sublinha a importância da visita papal a Fátima, evento que irá acompanhar no terreno, confessando que esta viagem terá “um sabor especial”.
Habituado a acompanhar a actividade do Papa, António Pinheiro diz tratar-se de “um homem de uma enormíssima profundidade, simplicidade e interioridade, como nota quem lê as suas homilias, que são o fruto de uma meditação pessoal sobre os textos da celebração a que ele preside”
Para o jornalista, é evidente uma atitude diferente em quem escuta Bento XVI, no Vaticano.

“Quem, no Angelus do Domingo, caminhar no meio da multidão, pode verificar que há quem esteja a gravar aquilo que diz o Papa e há quem escreva as frases que está a escutar”, relata.

Fonte: Agência Ecclesia

Fami e Paulo

“Dia da Mãe” no Santuário de Schoenstatt


“ A Mãe compreende até o que os filhos não dizem ”

Todos temos uma divida de gratidão para com a nossa Mãe, ela está sempre à nossa espera no Santuário de Schoenstatt com as graças para distribuir.

À semelhança dos anos anteriores vamos celebrar de modo especial este dia festivo e dar um cariz mais festivo.

O programa será:
15h30 - Oração de homenagem a Maria e todas as mães
16h30 – Bênção do Santíssimo Sacramento
17h00 - Missa

Contamos com a participação de todos para que seja um lindo dia de festa e de homenagem a Maria e a todas as mães. Convidamos todos os grupos, principalmente a Juventude, para trazerem uma canção para cantarem à Nossa Senhora.

A equipa da Pastoral do Santuário

O Nicho de Schoenstatt em Fátima

O Nicho da Família de Schoenstatt Portuguesa, que se encontra em Fátima, foi abençoado a 13 de Maio de 1978, depois de conquistado espiritualmente por toda a Família em Portugal, que já tinha adquirido o terreno.

O símbolo do Pai, em forma triangular, (tal como no símbolo do Jubileu deste ano) dá unidade aos outros elementos: a imagem da MTA, o Santuário de Schoenstatt e o Santuário de Fátima. Tem ainda gravado a inscrição “em Fátima, Família do Pai”.

O nicho é, assim, símbolo da unidade da Família, em torno ao Pai, e expressão da ligação íntima entre Schoenstatt e Fátima.
No dia 1 de Junho de 2003, na celebração dos 25 anos da bênção, novamente se reuniu a Família de Schoenstatt em Portugal, realizando também uma procissão até à Capelinha das Aparições que terminou com a eucaristia na Basílica e presidida por D. Maurilio de Gouveia.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Gratidão e Compromisso da Família na Capelinha das Aparições

Foto publicada no site international de Schoenstatt

No dia jubilar esperava-nos uma experiência profunda na parte da tarde: na Capelinha das Aparições, em que, por meio dos seus representantes, a Família nacional expressou a sua gratidão pelos 50 anos de história de Schoenstatt em Portugal e o seu compromisso pela missão nos próximos 50 anos. Este momento foi presenciado por muitos dos que não puderam estar fisicamente neste local, unindo-se assim a toda a família pela transmissão online no site oficial de Fátima. E é com alegria manifestada que muitos também puderam ver o Símbolo do Pai e a Auxiliar da Europa presentes neste momento tão significativo.
Os representantes do Movimento de Schoenstatt em Portugal dirigiram uma verdadeira "ladaínha" de louvor gratidão à nossa Mãe e Rainha.

Ir.Cristina Maria, Superiora do Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schoenstatt

Cristina Barreto, Superiora do Instituto Nossa Senhora de Schoenstatt

Margarida e Vasco Lagarto, Superiores do Instituto das Famílias de Schoenstatt

Alaíde Amorin, Dirigente da União Apostólica Feminina de Schoenstatt

Pe.Diogo Barata, Presidente Nacional da Obra de Schoenstatt e Pe.Miguel Lencastre

Depois dos agradecimentos e do compromisso que queremos assumir, oferecemos a Nossa Senhora um ramo de flores (ainda não temos fotografia do mesmo) pelas mãos do nosso Pe.Miguel Lencastre, enquanto o Pe.Diogo Barata rezou uma oração:

Querida Mãe e Rainha,
Nós, Família de Schoenstatt, colocamos no teu altar este símbolo da nossa gratidão ao comemorarmos 50 anos de vida em Portugal.
Neste símbolo estão:

O amarelo e azul, que são as nossas cores. Simbolizam tudo o que somos e vivemos: os ensinamentos do nosso Fundador, a sua espiritualidade profundamente mariana, o seu amor à Igreja e, muito especialmente, a Aliança da Amor, que é Fundamento e Coroa de toda a Família;

O verde, que simboliza a esperança de que, através do testemunho de vida de toda a Família, sejamos construtores de um mundo novo, com o novo Homem, nesta Terra de Santa Maria, na Europa e no Mundo;

O vermelho, que simboliza a força do Espírito Santo, que inflama os nossos corações e nos impele a ir ao encontro do nosso irmão e a anunciar o amor de Deus aos Homens.

“O universo inteiro com alegria,
Louve o Pai na sua imensa glória,
E lhe tribute honra
Por Cristo, com Maria,
No Espírito Santo,
Agora e sempre. Ámen.”
(Rumo ao Céu, estr. 200)

MP
Fotos: José Vilarinho

Um santo português canonizado

Pe.Diogo Barata

"Um santo português canonizado", é a palavra que anda na boca dos Schoenstatteanos que participaram na festa jubilar.
É com alegria e gratidão que agora já podemos ler a homilia do Pe.Diogo Barata na missa jubilar. Foi uma homilia que tocou muitos corações e da qual, sempre de novo, se ouvem bons e profundos ecos. A mensagem não é para ir parar à gaveta ou ao arquivo digital. Sim, é importante ficar gravada para que daqui a 50 anos possamos comprovar a sua realização, mas mais importante é ficar gravada nos corações, para que cada palavra se torne vida em nós. Assim, daqui a 50 anos poderemos falar em palavras proféticas. 
O três desafios à Família Portuguesa para os próximos 50 anos, lançados pelo Padre Diogo Barata na homilia do dia 18 em Fátima:

1º Vocações
Cada um terá de perguntar-se: qual é o meu lugar em Schoenstatt? Qual é a minha vocação e missão de vida?
2º Um santo português canonizado
Se não aspiramos à santidade estamos perdidos e Schoenstatt não tem sentido
3º Portugal
Cada um deve perguntar-se: o que é que eu estou a fazer concretamente por Portugal?
 
Ler a homilia completa em: http://www.schoenstatt.pt/jubileu/index.php?option=com_content&view=article&id=16&Itemid=24
 
MP

Deus abençoará a tua missão!

Padre Miguel Lencastre

Testemunho do Padre Miguel Lencastre no site oficial do Jubileu:
«Para o Padre Miguel Lencastre, um dos responsáveis directos da entrada do Movimento de Schoenstatt em Portugal, este espírito está sempre presente: “quero mostrar aos jovens de Schoenstatt um caminho de esperança, de vida, de ânimo, de coragem na nossa Igreja e na nossa pátria, numa altura em que atravessam momentos muito difíceis”. “É com vocês jovens que Deus conta”, diz o Padre Miguel Lencastre evocando a sua experiência de vida. “Vejam o exemplo dos antigos, os passos deles foram abençoados” e “certamente vocês também terão a mesma dose de bênçãos e fecundidade”, diz.»


domingo, 25 de abril de 2010

De Aveiro rumo a 2014

O Símbolo do Pai partiu hoje do Santuário de Aveiro para Lisboa, passando por Coimbra, para continuar a sua viagem pelo mundo, até 2014. Foi um semana em que todos os ramos do Movimento da diocese de Aveiro e Coimbra puderam ter um encontro com o Pai. Foi uma semana em que "saboreamos", juntos, as abundantes graças jubilares. A nossa gratidão não tem fim!

Portugal, Bento XVI e FigoMaduro

O Papa todos conhecemos! Que o Papa vem a Portugal, todos sabemos!  E o que é que Portugal, o Papa e FigoMaduro têm em comum??


Um grupo musical composto por mãe e 4 filhos que animará o encontro do Papa com a Pastoral Social em Fátima. No dia 13 de Maio, em Fátima, Madalena e os filhos João Maria (9 anos), Madalena (12 anos), Maria (14 anos) e Luísa (16 anos) vão interpretar 7 obras musicais.
Quando abrimos o site da Mãe Peregrina das Crianças: http://www.avistadamaeperegrina.org/, podemos ouvir a consagração dos pequeninos cantada precisamente por esta família, o grupo FigoMaduro. É por isso uma alegria muito grande saber que esta família cantará para Bento XVI, 10 anos depois de terem cantado para o Papa João Paulo II na Base Militar de Figo Maduro. Desse encontro, surgiu o nome «FigoMaduro».
Madalena confessa que com João Paulo II, ficou «uma relação filial muito forte».
«Sinto que nos passou um testemunho impressionante e que é nossa responsabilidade sabê-lo transmitir, e os meus filhos, à medida que foram crescendo, sempre o trataram por ‘nosso papinha’». Foi uma vivência profunda. Hoje, com Bento XVI, o espírito é o mesmo: «um testemunho de alegria pela sua presença, uma vontade de servir a Deus e a Igreja através da Música», diz Madalena. «Qualquer actuação nossa tem sempre o nosso máximo. No entanto, sossega-nos pensar que é para Deus e com Deus que queremos actuar», diz Madalena, consciente da responsabilidade do momento.

Mais do que um projecto musical, Madalena diz que «FigoMaduro» são desde o início, um
Projecto de Educação:
«Ao ser mãe, naturalmente desejei sempre que os meus filhos fossem educados na Fé católica mas, simultaneamente, que essa educação fosse a par duma educação artística».
Com a morte do pai das crianças, o projecto tornou-se profissional, disse Madalena, explicando que o objectivo era assegurar a continuidade do projecto de educação que o casal tinha para os filhos, através da música.»


«A minha única preocupação foram os meus filhos. Como explicar-lhes o inexplicável? Dia após dia, a fé foi superando a ausência paterna, e ele, deste modo, foi estando presente, até hoje. Desde o princípio, continuámos a falar do pai, não como quem se quer iludir e faz como se ele estivesse vivo, mas como quem sabe que a sua realidade agora é outra, e que nos havemos de encontrar quando Deus assim o entender. Por isso continuamos a rezar por ele como quando era vivo: todos os dias, antes de adormecer.
Sabia que a prioridade, sempre, mas agora sem o pai ainda mais, era dedicar aos meus filhos todo o meu tempo, mostrar-lhes que Deus nunca abandona os seus filhos e que a fé nos ajuda a viver com garra e felicidade. A questão era como conciliar tudo: ganhar dinheiro para sustentar a família e proporcionar-lhes a educação artística que vinham tendo desde que nasceram. Eles herdaram o meu talento musical e aperfeiçoam-no desde os três anos em escolas de música e conservatórios. Cantam bem e dominam instrumentos de percussão, piano, flauta transversal, violino e violoncelo.Durante meses madurei a ideia, até que um dia apresentei à família e aos amigos a nossa empresa: os Figomaduro. Seríamos uma família musical. A música uniu e, agora nutre a família, e, por ela, levamos animação e testemunhamos a fé onde quer que actuamos.
O exemplo de João Paulo II foi sempre um alicerce para nós. As primeiras palavras proferidas como papa foram: «Non abbiate paura. Spalancate le porte a Gesù Cristo!» (Não tenhais medo. Escancarai as portas a Cristo!») É o que tentamos fazer sempre.
A música engrandece a alma, faz-nos melhores como pessoas. Por isso, trauteando Bob Dylan ou cantando gregoriano, dá igual: é tudo para Deus, porque sem Ele não somos nada.»
MP

Informações tiradas dos sites:
www.bentoxviportugal.pt/ (23.04.2010)
http://www.avisitadamaeperegrina.org/
www.figomaduro.com/
http://www.audacia.org/ (Novembro de 2007)

A lembrança jubilar


Símbolos do Pai feitos do Capital de Graças oferecido ao longo destes meses nos 4 Santuários em Portugal. Bem originais nas cores, nos relevos... cada um é único, personalizado. Esta foi uma lembrança jubilar para todos os que participaram na festa do dia 18.
Um presente de todos nós para cada um nós.
Um presente de todos nós, porque todos contribuímos com o nosso pedacinho de cera, símbolo da entrega do nosso dia-a-dia à MTA.
Um presente que nos faz 1Família a arder por 1Missão!


Um presente preparado com muita dedicação e alegria pelos diversos ramos da Família.


 Um presente que nos une e faz mais Família no Pai!

A nossa gratidão a todos os que durante o dia e algumas horas da noite se disponibilizaram para fazer estes símbolos que tanto significado têm hoje para cada um de nós.
MP

sábado, 24 de abril de 2010

O "poder" de um ENCONTRO

Esta semana gostaria de deixar aqui, neste espaço, algo que li e me fez pensar no verdadeiro sentido e importância do "encontro". O Santo Padre visitou Malta e teve um encontro privado com oito vítimas de pedofilia. Muito se escreveu, avaliou, julgou... cada um de nós com a própria medida. No jornal online do Diário de Notícias do dia 19 podia-se ler:
"Lawrence Grech era uma das vítimas que mais amargura e revolta manifestaram antes do encontro privado com o Santo Padre. Ao ponto de clamar, alto e bom som, que exigia um pedido de desculpas do Papa. Mas, chegado o momento, Grech acabaria por se esquecer de si próprio perante a atitude humilde do homem de branco que fez 83 anos na sexta-feira. 'Fiquei impressionado pela humildade do Papa. Ele assumiu o embaraço provocado por outros. Foi muito corajoso. Ouviu-nos individualmente, orou e chorou connosco', afirmou Grech. E, emocionado, avançou: 'Tinha dito que queria um pedido de desculpas porque estava zangado. Mas a minha cólera desapareceu agora e estou feliz pelo meu encontro com o Papa. Vou continuar a minha batalha, não contra a Igreja, mas contra a pedofilia."

video
 Fica aqui um video especialmente para jovens, realizado por um grupo de universitários do Colégio Maior Mendaur da Universidade de Navarra. É um vídeo no estilo "stop-motion" (com fotografias) que mostra quem é o Papa Bento XVI. É uma das maiores mentes hoje em dia, e tem a habilidade de falar sobre coisas profundas de um modo fácil de entender. É uma pessoa mais próxima dos jovens do que parece à primeira vista.
MP

O Símbolo do Pai visitou Coimbra


No dia 21 de Abril o Símbolo do Pai visitou Coimbra. Em espírito de profunda união ao Santuário Original, alegramo-nos e rezamos. Foi um momento lindo de meditação e oração. Entregamos a Deus Pai as preocupações e alegrias de toda a Família de Schoenstatt e em especial da família de Coimbra.

Como Família de Schoenstatt de Coimbra devemos assumir a mensagem do Pai Fundador:

“- Somos herdeiros de um grande passado, portadores de um grande presente, construtores de um grande futuro.” (P.K.)

Virgem Mãe,
- Agradecemos-te porque a Divina Providência chamou o Padre Kentenich a ser nosso Pai, portador de uma grande missão.
- Agradecemos-te porque o espírito de aliança faz-nos compreender os ensinamentos do nosso Pai Fundador, a sua grande missão para os novos tempos, para toda a Família e para o mundo. A sua pessoa e a sua missão na Igreja são um dom, que fortalece a nossa confiança filial e nos encaminha para o futuro, alegres na esperança e seguros na vitória.
- Agradecemos-te, neste Ano Sacerdotal, todas as vocações sacerdotais presentes e futuras e pedimos-te que sejam autênticos rostos do Pai do Céu.
-Agradecemos-te a unidade da nossa Família no coração do Pai, que é expressão viva do amor orgânico, vivido no espírito do 31 de Maio.
Virgem Mãe, queremos ser Família em espírito constante de filialidade heróica, aceitando e oferecendo todo o capital de graças a fim de sermos “caso pré-claro da Família do Pai”. (Extraído do Guião de 18 De Abril)

Grupo "Pedras Vivas” Coimbra

Família de Schoenstatt a Caminho de Fátima - III

Não! Não nos esquecemos de partilhar consigo o almoço da Peregrinação e o final da caminhada até ao Nicho de Schoenstatt em Fátima! Tal como prometido, aqui ficam mais algumas fotografias.

Fotografia de José Vilarinho
Fotografia de José Vilarinho


Ao longo do caminho tivemos algumas paragens para retemperar forças! Rezar, cantar, descansar as pernas, beber água, comer uns bolinhos…


Fotografia de José Vilarinho

Aveiro e Lisboa animando uma dezena do terço. 
Somos FAMÍLIA!


Fotografia de Fami


Descansamos encostados a paredes...


Fotografia de Ana Margarida Bola


... ou apoiando-nos mutuamente!


Fotografia de José Vilarinho


E assim, retemperadas as forças, retomamos o nosso rumo. Viola às costas, vozes afinadas e… vamos cantar!

Fotografia de Ana Margarida Bola


Fotografia de Fami


Fotografia de José Vilarinho


Fotografia de José Vilarinho

... FILHOS, PAIS, AVÓS, NETOS, PRIMOS, CONHECIDOS E DESCONHECIDOS...

SOMOS MUITOS! SOMOS FAMÍLIA!  



sexta-feira, 23 de abril de 2010

Família Lencastre no Jubileu


O Pe.Miguel Lencastre e sua irmã D.Margarida eram presenças obrigatórias e muito desejadas na celebração oficial do nosso jubileu. Afinal, foi a Família Lencastre que o bom Deus escolheu para ser instrumento da vinda de Schoenstatt para Portugal. Por isso foi com imensa alegria que lhes fizemos uma pequena homenagem de gratidão. E foi bonito ver todas as pessoas, os da sua geração, os jovens, os que os conhecem, os que nunca os tinham visto, todos sem excepção se levantaram demonstrando gratidão num aplauso sem fim.


Foi precisamente numa das paragens do comboio (encenação) que os dois saíram na estação da Aliança de Amor. O Pe.Miguel contou como se decidiu ser padre, apenas numa semana. Recebeu, como símbolo de gratidão, uma vela feita com o Capital de Graças de todos nós.


A D.Margarida, alegre e original como sempre, contou-nos como é que a família Lencastre tinha reagido à conversão do P. Miguel. Ela contou a grande alegria que irrompeu na casa dos Lencastre,, a procissão que fizeram com o afamado Padre jesuíta que lá estava, a adoração ao Santíssimo em agradecimento, e da mensagem escrita que enviou ao P. Miguel: "Misericordiae Domini cantabo in aeternum!" E a resposta do seu irmão: "Não sei latim!"
Foi gargalhada geral.
Pe.Miguel e D.Margarida, com muito carinho dizemos o nosso muito obrigado  pelo sim que deram aos planos de Deus: iniciar Schoenstatt em Portugal! Deus e a MTA vos recompense ricamente!
MP

Fotos: José Vilarinho

Celebração do Jubileu em Fátima - Crónica do Autocarro nº 3 de Aveiro



Jubileu – 50 anos de Schoenstatt em Portugal
Celebração em Fátima – 18 de Abril de 2010
Crónica do Autocarro n.º 3

Engano, não é crónica nenhuma, nem eu a saberia fazer. Apenas umas notas retiradas de um dia grande.
Acompanhados pela nossa Irmã Mónica, o grupo maior de peregrinos era composto por missionárias da Mãe Peregrina, com a companhia de pessoas desafiadas a aceitar o convite.
Os dois casais da Liga das Famílias foram por todos acolhidos com carinho.
Da viagem pouco há a contar, que não se pode contar a devoção dos peregrinos, traduzida em orações e cânticos à Mãe.
Fica o relato de alguns testemunhos recolhidos já perto do regresso a casa:

Uma peregrina de Aveiro contou-nos que já conhecia o Santuário Tabor da Mãe da Igreja, e ultimamente tem participado nas celebrações do dia 18, trazendo consigo pessoas amigas. Sente estas participações como “reforço da vitamina”. Tem procurado conhecer a história do Movimento e ouviu falar da Aliança de Amor, pelo que numa próxima oportunidade irá perguntar às Irmãs como poderá participar. Diz ainda que gostava de receber a visita da Mãe Peregrina. Realça o título de Rainha da Família, no qual reconhece a Mãe do Céu.

Uma peregrina de Esgueira, que recebe regularmente a Mãe Peregrina, gosta de ir ao Santuário, que conhece há mais de vinte anos, para buscar paz. Gostou da cerimónia de acolhimento junto ao Nicho e do símbolo da pedra. Foi também tocada pelo espectáculo da manhã, mas ressalta como pontos altos do dia a chegada à Capelinha da Aparições e a celebração da Eucaristia.

De Estarreja, a lembrança de que devemos estar atentos aos sinais de Deus. Destes, a peregrina destaca o facto de ter tido conhecimento da existência de lugares vagos no autocarro, o que a levou a chamar um casal amigo, que por vezes se tem aproximado de Schoenstatt e aqui recebido graças e muito apreciou a peregrinação. Reconhece o muito e bom trabalho feito pela organização, lembrando que tudo o que foi preparada não cai do céu. Fez questão de lembrar o Padre Domingos, que com o seu entusiasmo a encaminhou com o marido para o Movimento, realçando a sua força, coragem, dedicação e empenho de todos os momentos. Lembrou-nos que devemos orar para continuarmos a ser instrumentos nas Mãos de Deus.

De Fermentelos, o elogio do trabalho da equipa organizadora do Jubileu. Confessa que à chegada a Fátima estranhou que lhe tenha sido entregue um “bilhete de comboio”, passando depois ao encantamento com a viagem que lhe foi proporcionada e pela vida recriada em cada uma das estações visitadas no espectáculo da manhã.
Pareceu-nos geral e genuíno o sentimento com que todos chegámos de um dia proveitoso, do gosto de conhecer pessoas que partilham ideais próximos e do enriquecimento obtido com o melhor conhecimento da História do Movimento em Portugal e com a vivência de Fé.

E aí está uma crónica que não chegou a ser crónica.

Maria do Rosário e José Augusto
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...